quarta-feira, 19 de abril de 2017

Resenha: Os segredos de Colin Bridgerton - Julia Quinn


Título: Os Segredos de Colin Bridgerton
Série: Os Bridgertons (Livro 4)
Autor(a): Julia Quinn
Tradutor(a): Cláudia Guimarães
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Ano de lançamento: 2014
Onde comprar: SaraivaSubmarino e Lojas Americanas
Sinopse: "Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz."

Os Segredos de Colin Bridgerton é o quarto volume da série e tem Colin, terceiro dos irmãos, como protagonista. Onde os anos já se passaram e agora o conhecemos mais maduro e de perto, com seu jeito charmoso e bem-humorado. Colin agora é um homem de 33 anos, rico, lindo e um dos solteiros mais cobiçados de Londres, mas ao longo dos anos dedicou-se exclusivamente as viagens ao redor do mundo. Apesar da saudade que sentia de sua família, ele gostava de descobrir lugares, sensações e emoções que ele jamais imaginou sentir ou conhecer. Porém, agora resolveu voltar para casa e sabe que sua mãe irá fazer de tudo para que ele se case.

Penelope Featherington sempre foi invisível para a sociedade, era aquela que sempre ficou à beira do salão esperando que alguém bondoso, ou coagido, a tirasse para dançar. Ninguém a enxergava além dos vestidos amarelos horrorosos e do desespero de sua mãe, Portia, para casar suas filhas com bons partidos, exceto a família Bridgerton. Na qual era muito querida, já que frequentava a casa deles há muitos anos por ser melhor amiga de Eloise Bridgerton. Sempre foi uma jovem tímida e recatada, e por não ter o padrão de beleza recomendado da época transformou-se na solteirona de Londres, porém, já está acostumada com isso e aos 28 anos sabe que nunca irá se casar, o que não significa que não seja apaixonada por Colin Bridgerton desde seus 16 anos. 

''Colin não sabia quando acontecera ou se alguém além dele se dera conta disso, mas Penelope Featherington não era a mesma mulher que ele conhecia.''

Recém chegado de uma viagem à Grécia, Colin se surpreende ao perceber que durante os meses que esteve fora algumas coisas mudaram, começando por Penelope. Ela não é mais aquela jovem sem graça e, sim, uma mulher inteligente, segura de si, sem medo de falar o que pensa, dona da própria vida e de uma beleza incomum, da qual ele não saberá como reagir. Começa então a questionar-se diversas vezes o motivo de nunca ter percebido como Penelope é inteligente, linda, encantadora... e principalmente por que as pessoas a ignoraram tanto. Quando Colin decide passar mais tempo com sua família, é que sua amizade com Penelope cresce e ele percebe definitivamente como ela se tornou irresistível e suas conversas com ela uma necessidade. Com isso se vê confuso ao perceber que anseia pela companhia dela constantemente e seus melhores momentos são ao lado dela.

"[...] Olhou para ela e, de alguma forma, não viu a mulher que vira tantas vezes antes. Penelope estava diferente. Ela brilhava. Era uma sereia, uma deusa, e ele se peguntou como era possível que ninguém jamais o tivesse percebido..''

Penelope não era tratada com respeito pela sociedade, até mesmo sua família a tratava como uma solteirona muito antes dela aceitar que seria uma. Apesar de ser uma jovem honesta, profunda, apaixonada por livros e muito perspicaz, não medem esforços para excluí-la. E por esses motivos, quando se vê apaixonada por Colin, sabe que ele nunca olhará para ela com a ânsia de desposá-la, então contenta-se com a amizade e com o amor que recebe da família Bridgerton, que a acolheu como uma filha.

"[...] Levou o livro até a altura do rosto e respirou fundo. - Você não adora esse cheiro de livro novo?''

É uma grande surpresa para ela, e principalmente para Colin (e para os leitores), quando a relação entre eles ganha um ar de paixão. Colin passa a ver Penelope com outros olhos, observando o quanto ela amadureceu, o quanto suas formas estão bonitas e o quanto sua boca é beijável (exatamente a palavra usada por ele). O ponto central é que Colin não sabe definir o que sente por Penelope, enquanto ela sabe que sempre o amou. Por serem amigos e terem crescidos juntos, o romance entre eles é caloroso na mesma medida em que é profundo, afinal eles tem muito que superar, aprender e revelar.

"Talvez aquilo fosse a definição de amor, afinal. Querer uma pessoa, precisar dela e a adorar até mesmo nos momentos de fúria, quando se tinha vontade de amarrá-la à cama só para que ela não saísse e causasse ainda mais problemas."

A autora consegue trabalhar com os conceitos de amor verdadeiro, autoestima, beleza e preconceitos tão comuns à sociedade do século XIX, com extrema facilidade. O que só tornou o livro ainda mais encantador. É incrível ver como Penelope e Colin vão superando seus receios e medos para ficarem juntos. Prende o leitor do início ao fim. Sem esquecer que temos mais um fato surpreendente: a revelação da maior colunista de Londres, Lady Whistledown. Causadora de novas críticas sociais e um mistério repleto de intrigas, mentiras e muita diversão.

“O nome dele era um mero sussurro nos lábio dela, que piscava sem parar de forma adorável e confusa. Como era possível que jamais houvesse notado o intrigante tom de castanho dos olhos dela? Eram quase dourados próximo à pupila. Nunca vira nada parecido e, no entanto, os vira centenas de vezes.”

Esse é um livro que mostra como uma amizade verdadeira pode transforma-se num amor profundo. Envolve o leitor na história e na época facilmente. Digno de suspiros, com cenas encantadoras, possui personagens que pensam por si e que têm uma história muito bem estruturada. Sem contar que ver traços da personalidade do personagem crescendo em outro livro, e depois de um tempo, ter uma história centrada nele, é algo sensacional e não é sempre que temos a oportunidade. Ainda mais de vermos nossos personagens favoritos crescerem, como estão casados, se tem vários filhos e se são felizes.

"– Eu te amo mais do que tudo. – Ele se inclinou para a frente e a beijou suavemente nos lábios. – Pelos filhos que teremos, pelos anos que passaremos juntos. Por cada um dos meus sorrisos e ainda mais pelos teus."

O livro segue o padrão de arte interna dos demais livros da série, algo mais simples, porém elegante, combinando perfeitamente com a época na qual o enredo se passa. A narrativa da autora é maravilhosa, e tem várias passagens engraçadas, onde você vai se divertir com a família Bridgerton. A capa do livro é muito bonita, a diagramação está muito boa e com uma revisão de qualidade. Será um dos melhores da série? Acho difícil escolher.

Me contem se já leram, o que acharam ou se pretendem ler. Espero que tenham gostado!
Um beijo e um queijo. ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário