quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Resenha: Amor de Cordel - Andrea Marques


Título: Amor de Cordel
Autor(a): Andrea Marques
Contato com a autora: Site, Facebook e Instagram.
Editora: Pandorga
Páginas: 400
Ano de lançamento: 2016
Sinopse: "Aos 38 anos de idade, Carolina Borges achava que tinha a vida perfeita. Casada com Miguel, era feliz mesmo sem ter realizado o sonho da maternidade. No entanto, a convivência com o marido e seu bom desempenho profissional a deixavam satisfeita e segura. O destino lhe prega uma peça e, sem esperar, ela vê sua vida se modificar significativamente. Seu casamento chega ao fim, e sua carreira como terapeuta ocupacional, que sempre lhe proporcionou alegrias, passa a torturá-la. Isso acontece quando o jovem arquiteto Alexandre Bastos entra em seu consultório pela primeira vez, despertando em Carol sentimentos conflituosos que a farão repensar seus valores e a obrigarão a sair de sua zona de conforto para se arriscar em terrenos desconhecidos que poderão colocar em risco sua própria vida. Permeado por traições e intrigas, Amor de cordel é um romance contemporâneo que traz à tona assuntos do universo feminino, além de despertar a paixão até nas mulheres mais modernas e independentes."

Carolina Borges é uma mulher decidida, tem uma vida estável e 38 anos. Casada há 14 anos com Miguel. Terapeuta Ocupacional (TO), ama sua profissão. Tudo está no seu devido lugar e para Carol nada deve mudar, mas a vida não tem um ritmo concreto e a qualquer momento as coisas podem ser alteradas, positivamente ou não. E são quando seu marido chega com um pedido de divórcio.

Sendo uma mulher forte e independente, apesar de muito triste por um casamento de tantos anos ter acabado, não se deixa abalar e resolve seguir em frente para reaprender a viver só. Faz uma lista prática com tudo o que vai precisar para a casa nova e acrescenta ao final um novo amor, mas acaba riscando na mesma hora.

"Era um apartamento pequeno comparado ao que eu morava anteriormente, mas eu sentia um afeto especial por ele. Talvez porque eu tenha decidido tudo sozinha, diferentemente de quando casei, pois Miguel me ajudou com a escolha da decoração e com a arrumação da casa."

Ao mesmo tempo em que parece que a vida tira, ela pode dar algo melhor. Continua com seu trabalho, visitando sua família normalmente, fazendo amizades no novo prédio em que mora, e começa aulas de balé para adultos. Segue vivendo até que começa a atender Alexandre, um rapaz de olhos cor de jade e sorriso fácil que vai revirar a vida de Carol.

"-Meu Deus, se esse bofe for tão bonito quanto é a voz dele, vou querer ficar na sua sala durante o seu atendimento!"

"...Mesmo assim, não me sentia intimidada, e desfrutava da dança como se aquele momento fosse terapêutico; não apenas pelas sensações físicas agradáveis, mas principalmente pela paz de espírito que sentia quando estava em movimento. Às vezes até me esquecia que tinha outras alunas ali e me entregava ao balé como se nele eu pudesse me revelar e, ao mesmo tempo, encontrar um lado meu que nunca soubera existir."

Alexandre é um arquiteto bem sucedido e tem 27 anos. Mesmo tendo muito dinheiro, é educado, cavalheiro e não se desfaz de ninguém. Nunca se apaixonou, e flerta com Carolina desde o primeiro contato, mas sendo ótima profissional, o código de ética a impede de ir adiante mesmo com toda insistência de seu paciente. Porém, isso não a impede de se apaixonar, e sim, os pré conceitos que ela mesma impôs para si. Entretanto, quando se apaixona, Alexandre está disposto a fazer de tudo por essa paixão e não coloca obstáculos em seu caminho. E o paciente afinal acaba sendo mais do que apenas isso. 

"Suspirei e percebi que todo meu esforço para me convencer de que não estava apaixonada tinha sido inútil, pois a cada encontro meu desejo só aumentava."

Um romance contemporâneo, cheio de dramas e até ação. Com uma protagonista forte, mas tímida. Independente, mas um pouco insegura, e que pensa sempre em ajudar o próximo. A autora criou uma personagem capaz de nos fazer se identificar quase que instantaneamente. E por mostrar uma mulher se reerguendo e reconstruindo sua vida após anos de casamento, é um ótimo livro para mulheres lembrarem da força e valor que têm. 

"Fui para casa pensando em como as pessoas podem ser tão interesseiras em alguns momentos e se deixar levar pelo próprio egoísmo e não pensar nos sentimentos dos outros."

"Não conseguia parar de gritar, e só depois que Alexandre acionou o paraquedas e nós assumimos uma nova velocidade, mais suave, é que fui tomada por uma sensação de liberdade plena e entendi por que os pássaros cantam."

Temas bem complicados foram abordados de forma sutil e bem interessante no livro. Desproporções entre o sistema público e privado de saúde, discriminação de idade, cor e classe social, falta de atenção especial com deficientes e idosos, homofobia, intolerância e preconceito. Apresenta principalmente pessoas que se privam da própria felicidade por medo de regras impostas pela sociedade, e como somos escravos de uma. 

"-Eu sei que muitas coisas já mudaram para melhor, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Até hoje, eu e Gustavo não nos casamos e o nosso desejo não é apenas por ideais românticos, mas porque sem sermos casados perante a lei, não temos os mesmo direitos que um casal heterossexuais. Você sabia que se eu ou ele precisarmos fazer uma cirurgia de risco, por exemplo, nenhum dos dois tem o direito de autorizar o procedimento?"
(A história do livro se passa em 2010, e o casamento homossexual ainda não tinha sido aprovado.)

"Mais uma vez me questionei como as pessoas são capazes de julgar alguém por motivos tolos como a opção sexual, a cor da pele ou as crenças religiosas, e lamentei o fato de o ser humano se apegar a aspectos tão banais, quando existem coisas muito mais importantes com que se preocupar."

"...as pessoas não se incomodam em ver guerra e violência na tevê, mas ficam ofendidas ao verem dois homossexuais juntos. Isso é realmente um absurdo!" 

Outro ponto bem interessante foi conhecer a profissão de Terapia Ocupacional (TO) (que eu particularmente nunca tinha ouvido falar). Conhecemos as diferenças entre a Terapia Ocupacional e Fisioterapia, e em que a TO pode ajudar o paciente. Andrea sutilmente conseguiu dar destaque a profissão sem deixar aleatório ou fora de contexto, e foi de extrema importância.

"...a terapia ocupacional pode ensinar a se reconstruir mesmo quando seus pedaços parecem soltos e sem sentido. Cabe a terapeuta ocupacional saber ouvir seu paciente, pensar junto com ele formas novas de viver o cotidiano, de juntar os cacos que surgem quando uma doença ou deficiência se instala, de buscar alternativas para continuar a sonhar, ainda que a dor física ou emocional seja tão intensa que pareça não haver mais saída. Cabe a TO ensinar o encantamento pela vida, mesmo que a morte seja efetivamente a única coisa certa para todo ser."

A autora ainda conseguiu desenvolver muito bem os personagens secundários. É quase que impossível não querer tê-los como amigos ou família também. São todos bem construídos e mesmo aparecendo em poucas cenas, não deixaram a desejar.

"...a saudade é a memória do coração."

A capa é muito bem trabalhada, colorida e chama a atenção de longe. A diagramação também está muito boa, tirando alguns errinhos bobos de português, e faz com que a leitura flua ainda mais rápido (li em apenas 2 dias). A leitura vai obter opniões diferentes pois vai depender de como as pessoas percebem consequências, sentimentos, diálogos, e relacionamentos, mas que está mais do que recomendada!

"- Às noites maldormidas!
- Mas muito bem vividas!"

"Amor de Cordel" vem para fortalecer que o amor não tem barreiras e que as vezes temos que arriscar e estar preparados para todas as consequências. Uma história reflexiva, emocionante e realista. A sinopse não nos prepara para tudo o que esta por vir, e se eu já esperava que fosse boa, não estava preparada para esse livro incrível! 

"...o fato é que as mulheres ainda precisam superar as próprias inseguranças para conseguir assumir o fim de um relacionamento doentio que não traz nada de bom, ao contrário, só tira de cada uma o que há de melhor: a idade, a beleza ou às vezes, os próprios sonhos."

Esse livro pode ser tudo, menos uma história boba. Aprovadíssimo e novo integrante da lista de favoritos!

Espero que tenham gostado e me contem aqui se já leram ou pretendem. 
Um beijo e um queijo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário