terça-feira, 22 de agosto de 2017

Resenha: Chove Granito - Gabriel Tempobono


Título: Chove Granito
Autor(a):  Gabriel Tempobono
Editora: Independente
Páginas: 100
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Site oficial 
Sinopse: "Eu falo sobre o agito dos tornados e a fúria das ressacas. Falo Sobre as fotos sem molduras, tortas e escuras. Sobre as cartas borradas pela chuva e por toda maquiagem que escorreu dos olhos dela, ao acordar desesperada e ver que seu amor de uma noite saiu correndo pela porta da frente. Eu falo sobre o medo de altura e sobre ser o Everest. sobre ter o abraço tão quente quanto o Alasca e a mente tão sóbria quanto uma overdose. Tento explicar que não existe coração quebrado que não pode ser colado, costurado e construído do zero. Eu sou uma tempestade de pedras que quebra seu crânio, tritura todos os seus ossos e esmaga todos os seus órgãos, mas dói menos que o amor. Tudo isso é sobre ser a maior tempestade."


"Chove Granito" é um livro de textos curtos e poesia. 

Apesar do nome lembrar algo "ruim", o autor fala sobre o amor. Sentimentos intensos, como amores recíprocos (ou não), separação, segundas chances, corações partidos, superação e principalmente histórias de amor que valem a pena serem contadas e são marcantes por toda uma vida.

"Vai ficar tudo bem. Juro! Sempre fica."

Palavras são colocadas nas páginas com intensidade, de maneira que nos faz perceber exatamente tudo o que o autor quer passar através da leitura e como isso nos move durante a vida. Afinal, quem nunca viveu cada uma das experiências descritas um dia irá viver.

"Eu sou a Palestina e você é Israel - mesmo odiando a existência dessa metáfora. Sou cada lágrima dessas crianças no meio da noite e você é o Hamas ao explodir minha casa e dar risada. Você insiste em dizer que a culpa sempre foi minha. Eu quero meu espaço, harmonia, dormir sem ouvir seus chiliques e acordar sem me sentir sufocado pela fumaça dos seus cigarros baratos."

Um emaranhado de ideias muito bem delineadas, que Gabriel resolveu ilustrar e dispor em forma de livro. Todo o trabalho final ficou extremamente bem feito. Uma edição muito detalhada, com lindas ilustrações e diagramação feitas pelo próprio autor, assim como a publicação independente.

"Nenhuma certeza é absoluta, mas nós somos."

Um livro bem curtinho, mas que dá gosto de ler. Vale a pena pelo capricho, simplicidade dos traços e doçura das palavras. Porque se apaixonar não é uma coisa corriqueira, e muito menos fácil, e com bons conselhos de um amigo, já que é assim que o sentimos quando a leitura é finalizada, quem sabe não ajuda um pouco. 

"Quero ser maior que tudo isso e deixar de ser esse devaneio do que eu acho que sou."

Entrou para os favoritos e ainda ficou cheio de post-its, super recomendado!

"Quero proliferar minha cura como um vírus que mata milhões. Quero que todos encontrem o caminho para o lado de fora dessa prisão que é nossa mente, e que todos os pedaços que se descolaram de mim, se encontrem eu novo lar, por aí, dentro da casa de qualquer um que atravessa as noites sem pregar os olhos, só por estar passando por tudo o que já passei um dia."

(Detalhe para o meu exemplar que veio autografado e cheio de brindes. E para o marcador lindo do Arti Visive)

Espero que tenham gostado, me digam se já leram ou pretendem, um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário