quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Resenha: Mais perto do coração - Renata S. Tourinho


Título: Mais perto do coração
Autor(a):  Renata S. Tourinho
Editora: Chiado
Páginas: 74
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Saraiva e Livraria Cultura.
Sinopse: “Marina é uma pequena menina que vive em um mundo separado em cores. Um dia a menina recebe de um amigo um presente misterioso que a deixa curiosa.  Ela então decide corajosamente viajar sozinha em seu barco em busca de respostas. Em seu caminho, Marina faz novas amizades e descobertas, com muitas aventuras que irão colorir e mudar o seu mundo para sempre.”


"Mais perto do coração" conta a história de Marina. Uma menina cor-de-rosa que morava em um país dividido por cores, e o seu, assim como ela, também era cor-de-rosa. 

Porém, a menina não sabia que existiam outras cores além da sua, e é somente quando Jorge, um pescador amigo, lhe entrega conchinhas verdes, que a menina descobre a existência de outras cores. Com isso, pega o barco do pescador emprestado, dá-lhe o nome de Sonho, se despede da família e amigos, pega várias flores cor-de-rosa para presentear quem encontrar pelo caminho, e resolve sair em busca do país verde. 

"Compreenderam que aquele era seu sonho. E quando uma pessoa tem um sonho ela não pode desistir dele."

Cada país que Marina encontra pelo caminho e conhece durante sua busca, tem uma cor diferente. E em cada um ela faz uma nova amizade, além de deixar uma flor cor-de-rosa de presente e ganhar uma nova companhia na viagem. 

"Era tão gostosa a liberdade que experimentava navegando em seu barco e a alegria brotava em seu coração cada vez que pensava na possibilidade de encontrar um mundo novo."

Cada um de seus novos amigos e companheiros de viagem dá um nome ao seu barco relacionado a alguma das virtudes que devemos ter em nossa vida, sendo eles: Pedro do país azul com seu barco Aventura; Marília do país lilás com seu barco Tolerância; Miguel do país laranja com seu barco Solidariedade; Isabel do país vermelho com seu barco Amor; E Eduardo do país amarelo com seu barco Esperança. E juntos, saem em busca de um único objetivo.


"Podemos perfeitamente conviver com quem é diferente. Podemos aceitar a diferença, tanto na aparência, como no modo de viver e de pensar de uma outra pessoa. A isso se dá o nome de tolerância..."

"O nome disso é solidariedade. Ser solidário é ajudar o próximo sem ter o interesse de ganhar algo em troca, é dar apoio, é ser amigo. É também se colocar no lugar do outro e entender o que ele sente."

"...Acho que o amor faz o nosso coração bater dentro do peito de outra pessoa, e deixa o coração de outro bater dentro do nosso peito."

"Ter esperança é confiar que algo que você espera vai acontecer. É acreditar nisso."

"Ter fé é ter confiança, é acreditar com toda força. Fé é algo muito parecido com esperança."

Contudo, nem tudo é tão simples como parece, e eles enfrentarão algumas dificuldades pela frente. Em meio à viagem acontece uma tempestade que acaba fazendo um dos barcos se desprender dos demais e se perder. Este é o momento mais claro do livro, em que a autora quis representar as tempestades de nossa vida.

"Às vezes nós somos pegos por alguma tempestade no caminho. E muitas vezes elas vêm furiosas, assustam muito. Nos sacodem, tiram tudo do lugar. E podem nos afastar das coisas boas de que gostamos e que nos fazem bem. As tempestades podem ser tão fortes que nos tiram do nosso caminho, nos deixam perdidos e sem rumo. E no meio delas é comum sentir medo, dúvida e outras coisas como ansiedade e nervosismo. Tempestades podem até mesmo machucar e ser muito dolorosas. Mas sabe de uma coisa? Elas não duram para sempre. E se você for pego por alguma no meio do seu caminho você precisa aprender a não escutar tanto os meninos que gritam nesses outros barcos que aparecem de repente. Você precisa aprender a escutar também a voz dentro de você. A voz que te diz que você deve guiar seu barco com força para que ele mantenha-se equilibrado e não vire. Escute a voz que te diz que a tempestade vai passar e que você vai ficar bem."

É um livro em que cada detalhe dele é importante. A leitura é leve e fluída, o que nos faz terminar o livro em poucas horas. Pode até parecer infantil, mas todos deveriam ler! Várias lições nos são passadas através das páginas, assim como muitas reflexões. É aquela obra pequena, mas com um conteúdo surpreendente e cheio de significado que vai te emocionar e ensinar.

E falando em emocionar e ensinar, é um livro perfeito para ser trabalhado nas escolas pelos professores. Pois além de abordar temas como preconceito, bullying, aceitação ao desconhecido, amizade, família e muitos outros que fazem parte do nosso dia-a-dia, a autora trabalha virtudes que todos devem exercitar e principalmente as crianças devem aprender desde cedo. 

A capa está lindíssima, assim como a diagramação que contém lindos desenhos de barcos e conchas (que foram feitos pela filha da autora). As páginas são amarelas e a narrativa é em terceira pessoa, o que nos passa a sensação de estarmos sentados ouvindo uma história com a autora. 

É uma obra que abre nossos olhos, nos faz ver a verdadeira importância das coisas e de nossas atitudes. Nos mostra que aceitar conhecer o diferente é importante, pois ninguém é igual, e é somente quando juntamos nossas diferenças que conhecemos e entendemos as qualidades um do outro e o que temos a oferecer. 

Meu exemplar autografado <3

Esse é mais um novo integrante da lista de favoritos. Super recomendado! 
*Detalhe na foto para os meus marcadores lindos do Arti Visive <3 
Espero que tenham gostado e não esqueçam de me dizer se já leram ou pretendem.
Um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário