quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Resenha: O legado da Ruína - William Tannure


Título: O legado da Ruína
Série: Lobo e Gelo (Livro 1)
Autor(a): William Tannure
Editora: Chiado 
Páginas: 566
Ano de lançamento: 2017
Sinopse: "Em um mundo entre tantos, o Império de Yxor dominava toda a terra conhecida pelo homem. Seu poderio com exércitos vastos e legiões de magos sempre assegurou o controle sobre os reinos subordinados a ele.Sob o comando de Rognam, um herói que surgiu em tempos obscuros e devolveu a esperança aos homens, o Império yxoriano cresceu e se expandiu até que todos os homens se ajoelhassem perante o imperador-deus.Um casamento foi celebrado entre ele e a herdeira do maior dos rebeldes, a filha de Sirar, o Leão, regente da nação sulista de DacMeth, com o intuito de unificar aqueles que um dia foram inimigos e de trazer a prosperidade acompanhada de paz.Dessa união três crianças nasceram, três príncipes de personalidade e objetivo diferentes. Regnar, o mais velho e herdeiro do trono, luta contra as vontades irrecusáveis de seu pai para tentar seguir seu caminho. Arcaedas, um feiticeiro tamanhamente talentoso, quanto arrogante, assolado por uma enfermidade que o privou do sentido da visão. Syric, o mais novo, um rapaz confuso, com o presente e o futuro envoltos em dúvidas e mistérios.Cada um parte em sua jornada pessoal, motivados por ambições e vontades particulares.Mas a suposta prosperidade no Império é fraca. Enquanto Yxor julga ter controle sobre os reinos conquistados, seus monarcas indignados pela opressão duradoura tramam silenciosamente a queda do Imperador e da unidade conquistada por ele. E, nas sombras mais densas um ser sinistro de tempos imemoriais espreita, pacientemente, tecendo planos macabros e aguardando seu momento de revelação. "


Era um dia completamente normal no Reino de Yxor, até que as trombetas soaram e o inimigo foi avistado. Despreparados, soldados e magos não conseguiam impedir o  exército inimigo que se aproximava e o lobo Harulf, até que somente um guerreiro, Rognam, conseguiu derrotar a fera e vencer a Forja de Guerra, que mais tardar se revelará de extrema importância para uma cadeia de acontecimentos. 

Após o evento, Rognam foi nomeado Imperador de Yxor, casou-se com Merlain, filha de Sirar, regente da nação sulista de DacMeth, e teve três filhos: Regnar, Arcaedas e Syric. Sob seu comando o império cresceu e se espandiu, mas também todos perceberam sua sede de poder e o quanto sua palavra e suas decisões (até as mais erradas) eram a lei.
Regnar é o primogênito, porém, luta constantemente contra as loucuras do pai e para descobrir sua vocação. Seu maior obstáculo é seu irmão Arcaedas, que apesar de arrogante e cego, é extremamente talentoso na arte do Arcano, tem sede de poder e não mede esforços para alcançá-lo. E sua maior felicidade é seu irmão mais novo, Syric, que é apenas uma criança e ainda vê a pureza nas coisas.

"Eu aprendi ao longo da minha vida que todos nós temos um rumo a seguir, mas que não o conhecemos quando nascemos. Cada um descobre sua função no mundo um dia, podendo ser hoje ou em dez anos. Mas quando você descobrir, você saberá."

"Você sem dúvida, é talentoso, isso eu não posso negar. Mas deveria aprender a ser um pouco mais humilde e respeitar mais o próximo, especialmente seu próprio irmão. Esse tipo de atitude também nos faz iguais aos inimigos que nos espreitam nas sombras, talvez até piores do que eles. Aprenda, meu príncipe, que modéstia e humildade não são fraquezas, mas sim poderosas virtudes."

Ao longo do tempo as brigas entre os irmãos mais velhos foram crescendo, e com isso Regnar acaba buscando coisas muito além da capacidade de compreensão dos homens e descobrindo seu verdadeiro caminho.  

"O fato de você não conhecer, não significa, necessariamente, que algo não exista."

"Não é o que você sabe que define a realidade, é o que você pode saber, se assim quiser."

Em paralelo temos Rognam, que quer ser visto com um Deus e mostrar para todos que devem se ajoelhar perante a ele. E devido a sua postura diante de todos, uma guerra começa a ser planejada, por trás dos portões de Jotulpar, pelos reinos revoltados com seu modo opressor e demônios se erguem para buscar a ruína do Império de Yxor, resultando em uma guerra de proporções inimaginadas.

"A sabedoria traz ao homem outro tipo de força..."

"O hall era uma parte da própria fortaleza, erguida no extremo oposto da Torre do Sundar. A localização não era um mero acaso. Era o simbolismo do oposto de duas forças totalmente diferentes, porém igualmente temidas: o martelo do guerreiro e o cetro do feiticeiro. Força e Magia. Contrárias entre si."

Um livro com personagens extremamente bem desenvolvidos, nos fazendo amar alguns e odiar outros. E que apesar dos vários cenários, personagens e situações adiversas, conseguimos identificar cada um por alguma simples característica, porém única. Cada detalhe é importante e não fica esquecido, tendo tudo explicado ao finalizar o livro. 

"Considerávamo-nos construtores. Erámos quebradores. De vidas e de mundos."

O autor conseguiu criar uma fantasia/ficção que envolve um universo repleto de magias, criaturas sobrenaturais, dramas políticos e familiares rico em detalhes, completamente diferente de tudo o que já li, ouvi e vi, nos fazendo sentir que estamos dentro da história de modo muito natural e inovador. Sem esquecer do final arrebatador que nos deixa de queixo caído e querendo ansiosamente pelo próximo volume da série. 

A diagramação foi a única coisa que me decepcionou um pouco, já que encontrei muitos erros (bobos) durante a leitura. As páginas são amarelas, a letra é de um tamanho agradável facilitando a leitura. O livro é dividido em três partes, sendo a primeira a contagem dos fatos, a segunda a jornada dos Príncipes e a terceira o grande desafio. Os capítulos são bem distribuídos e a parte visual ficou bem bonita acrescentando ainda mais à obra.

"Que seja o dia que nós dois deixamos nossas diferenças de lado, e que possamos orgulhar aqueles que se ajoelharem para nós todos os dias."

Com certeza é um livro que recomendo e merece todo o reconhecimento!
(A propósito, o meu ficou todo marcado com quotes maravilhosos e depois vou fazer um post só com eles.)


Por dentro do livro

Meu exemplar autografado


E para quem for à Bienal do Livro no Rio de Janeiro, o autor William Tannure vai estar presente, autografando seu livro no Estande M05 dia 9 de setembro às 15h.
Quem tiver oportunidade de ir, não deixe de conferir pois é uma obra que realmente vale a pena.

Espero que tenham gostado, um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário