terça-feira, 31 de outubro de 2017

Respondendo a Booktag #ZédoCaixãoLit

🎃 Doces ou travessuras? 👻

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Entrando no clima de Halloween, resolvi dar as caras por aqui para responder a tag #zedocaixaolit, criada pelas meninas do @vainamalablog@oreinodaspaginas e @trevobooks, que a parceira do @bookkando me marcou.


💀 DRÁCULA - UM LIVRO QUE TIROU SEU SONO: E não sobrou nenhum, Agatha Christie. Só consegui dormir quando terminei o livro e o mistério foi desvendado, sensacional!

💀 FRANKENSTEIN - UM ENREDO CALMO COM FINAL TRÁGICO: Caixa de pássaros, Josh Malerman. Não foi bem o final que foi trágico, mas quem já leu vai entender.

💀 MR. HYDE - UM PERSONAGEM DUAS CARAS: Evandro, de Segredos Obscuros da autora parceira @caroldemantova. E põe duas caras nisso!

💀 CTHULHU - UM LIVRO QUE TE DEIXOU APAVORADO: Let Us Burn, continuação de Adrenalina Sombria da autora parceira Thaís Barros (@adrenalinasombria). Está disponível no Wattpad e foi um livro que deixou a medrosa aqui com ainda mais medo, e super recomendo!

💀 DORIAN GRAY - UM LIVRO COM CAPA QUE NÃO CONDIZ COM A HISTÓRIA: Não me lembro de nenhum...

💀 HOTEL OVERLOOK - UM LIVRO COM AMBIENTE DESCONFORTÁVEL: O oceano no fim do caminho, Neil Gaiman. Me senti desconfortável durante toda a leitura desse livro, e até hoje tento entender o que aconteceu, resumindo, não gostei.

Alguém aí, assim como eu, é doida(o) para viajar pros EUA nessa época só pra passar o Halloween lá e participar de tudo?! Me contem aqui!! 🙀
#happyhalloween #formationleitoras#lnteraçã0

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Apresentando: A Vampira - Martina Romero

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Uma ótima semana para todos nós! E para começar a minha, venho apresentar mais livros do projeto #ValorizandoNacionais, e o de hoje é "A Vampira", que recebi dia 05/10 em parceria com a autora @martina_romero_.


Sinopse: "Katherine Miller é uma vampira que foi transformada há mais de três séculos por seu grande amor, Daniele. Depois de oito anos juntos, ele decide abandoná-la para mantê-la segura, já que ao seu lado ela corria perigo. Antes de partir, porém, Daniele promete protegê-la, ainda que de longe, sob qualquer circunstância. Para um vampiro, a palavra é tudo, mas Kath não se convence e, a partir daquele momento, abdica de qualquer sentimento. Agora, trezentos anos depois, sozinha e diante da eternidade, Katherine é uma vampira sem compaixão, que mata sem parar. Para se entreter, ela se matricula na universidade e, logo no primeiro dia de aula, reencontra alguém de seu passado. O choque é enorme. O que ele fazia ali? Mesmo com sede de vingança, Katherine começa a perceber que, apesar de tudo, ainda sentia algo por Daniele. Negando esse sentimento para si mesma, tenta mascará-lo com raiva, mas, aos poucos, começa a ceder. Ele ainda quer protegê-la, pois há um grande perigo à espreita. Para ficarem juntos, porém, ela terá que deixar seu rancor de lado."

Alguém aí já leu ou pretende? Me contem aqui! Ah, e amanhã tem um post bem legal para vocês 😘

domingo, 29 de outubro de 2017

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Resenha: Andarilhos - R. Tavares



Título: Andarilhos
Autor(a):  R. Tavares
Editora: Martins Livreiro
Páginas: 204
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Site do autor e Amazon (Ebook).
Sinopse: "'O Sertão é o Mundo', disse, certa vez, Guimarães Rosa. O mesmo poderíamos dizer sobre o Pampa, esta espécie de sertão meridional que baralha fronteiras e entremescla muitas pátrias. É no vasto e inesgotável, rico e melancólico mundo pampiano que transitam os personagens de R. Tavares: Pedro Guarany, changador marcado por uma antiga tragédia; João Fôia, lacônico homem cuja real personalidade é um mistério; e o francês Alphonse Saint Dominguet, cujo olhar forasteiro revela a estranheza, os arcaísmos e a alma profunda destes rincões à margem do mundo. 
Esses três andarilhos se reúnem em uma improvável comitiva de viagem, passando por cenários pitorescos, enfrentando ameaças e, principalmente, o passado - sempre à espreita (como um tigre nas matas) - pronto para cobrar seus tributos.
Trata-se de uma história que envolve temas universais, como o amor, a perda, amizade e (quem sabe) a redenção, e que apresenta grandes e verossímeis personagens - que criam empatia logo nos primeiros traços."

"Andarilhos" é um livro ambientado no Rio Grande do Sul, terras gaúchas, dos primeiros anos do século XX. Porém, vai muito além disso, já que acompanhamos Pedro Guarany, Jão Fôia e Alphonse Saint Dominguet, em suas jornadas.


"Todos temos um motivo para andejar sem eira nem beira."

Homens das estradas, vivendo com pouco. Um fugitivo, um andarilho e um escritor. Ambos com marcas do passado, e fungindo justamente dele. Vagando, se redescobrindo na estrada, e buscando redenção, que a cada dia enfrentam um novo desafio e tem suas histórias entrelaçadas de maneira surpreendente e curiosa. Além disso vamos encontrar outros personagens durante a leitura que vão fazer toda a diferença (contudo, se eu falar mais vou dar muitos spoilers).


"O luxo e o conforto são vistos como algo supérfalo, estrangeiro, desnecessário."

"Mas contestar é um ofício que não pretendo abandonar."

Ao longo da leitura somos apresentados a diversas tradições da região. Imposições, comportamento dos homens com as mulheres e a luta e resistência de cada uma para sobreviver, graças aos costumes da época, que também são abordados e nos fazem questionar certos pontos.


"Um aviso: a vida que presenteia é a mesma que cobra."

"Sangue se pagava com sangue. Era desse jeito que se lavava a honra naqueles lados."

Uma narrativa completamente envolvente e fluída, que nos faz devorar o livro em pouquíssimo tempo. Diferente de tudo o que já li, é um livro extremamente profundo e que me emocionou, ensinou e me fez agradecer por tudo o que tenho. Abordando vários temas como: família, amizade, amores, desamores, vingança, medo, compreensão e perdão, não tinha como esse livro não entrar para os favoritos contendo tantas lições importantes para a vida e para nos tornarmos pessoas melhores a cada dia. 


"Era como aqueles casos em que uma semente plantada há muito tempo, praticamente esquecida, depois de alguma chuva esparsa, finalmente começava a germinar e a criar raízes. Deveria passar a enxada logo nesse sentimento, pois sabia que era erva daninha."


"As leis nos libertaram da escravidão. Mas nós ainda somos pretos e pobres. E vosmecês não fazem nem ideia do que é ser preto e pobre numa terra de brancos. Mas nós vamos indo... Vivendo como Deus permite."

Uma verdadeira obra, típica de época, com sangue, luta, dor e história de amor, que veio para quebrar paradigmas, ultrapassar as barreiras do preconceito e mostrar que obras regionais são tão importantes quanto outras. Como a autor mesmo diz: "Se queres ser universal, começa por pintar a tua aldeia."

"Quando a conversa é boa, o tempo pede passagem - aqueles dois nem notaram que o sol já vinha baixando e procurando seu leito para o descanso noturno."

A capa ficou lindíssima, conseguindo capturar a essência do livro. A diagramação é simples, com letras de um bom tamanho para a leitura e capítulos curtos. 


"Afinal, a estrada estava sempre à espera dos andarilhos."

Para ler e reler sem cansar, "Andarilhos" entrou para os favoritos, conquistou meu coração e não vou cansar de indicar. Leiam! 


"Vai em paz. Segue teu caminho, mas nunca esqueças que esta família te ama muito. Aqui também sempre será a tua casa."


(Meu exemplar autografado!) 

(A embalagem super bem feita e linda em que chegou meu exemplar!)

Obrigada Rodrigo, por me proporcionar a honra de conhecer seu trabalho, por todo o carinho e atenção. E aqui vai a minha foto para colaborar com seu projeto #AndarilhosPorAí. 


(Foto no Museu Imperial - Petrópolis, Rio de Janeiro.)

Espero que tenham gostado, e me contem aqui se já leram ou prentendem... 
Um beijo e um queijo ;*

Apresentando: Dark London: Contagem Regressiva - Pietra Von Bretch

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Hoje venho apresentar mais um livro que recebi em setembro (26/09) para o projeto #ValorizandoNacionais, "Dark London: Contagem Regressiva" da autora parceira @pietravonbretch


Sinopse: "Na Londres contemporânea, humanos, vampiros e outros seres sobrenaturais co-habitam em teórica harmonia. O ano de 2017 marca o final das Eras Míticas e o início da corrida para encontrar os responsáveis pelo cumprimento da Profecia das Eras. A Tríade, o Ser e o Objeto Sagrado serão reunidos 5000 anos depois do Grande Rito. Os lendários filhos dos Arcanjos Maiores serão agrupados por generais alados para que a Profecia seja cumprida pelos celestiais. O Submundo, por sua vez, está em ebulição. É a chance que os Infernais aguardavam há milênios. Os portões de acesso ao Velho Mundo estão abertos. Não existe Bem ou Mal. Alheios ao tempo e aos fatos, os vampiros Desgarrados iniciam uma sangrenta e cruel batalha contra Realeza, com conseqüências catastróficas para os humanos. Ninguém está a salvo. A iminência da exposição da sociedade vampírica ao mundo inteiro traz, ao cenário, medidas enérgicas. Vampiros. Lobos. Feiticeiras. Caçadores. Anjos, Demônios e Humanos correm contra o tempo para impedir uma série de eventos proféticos que podem levar à extinção do planeta Terra."



"Dark London: Contagem Regressiva, o conto que dá origem à série de literatura fantástica DARK LONDON, conta a história da Sentinela Brian McIntire e da Grã-Sacerdotisa Pagã Alexandrya Leon McIntire. Eles se amam há 400 anos. Ele, um vampiro. Ela, uma humana. Após um sequestro e torturas devastadoras, o vampiro se vê forçado a tomar atitudes extremas para salvar a mulher que amou por toda a sua existência. As implicações, porém, não eram esperadas e irão mudar a sociedade como conhecemos de maneira colossal."

Me contem aqui se alguém já leu ou pretende! 😘

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Parceria com a autora Naila Barboni Palú



Sinopse: “Princesa. Capitã. Colette Berneen Charumatti tinha certeza de ser os dois até o fim de seu baile de maioridade, quando um golpe, aplicado por um membro de sua própria família, tomou a vida de seu pai e lhe tirou o direito ao trono.
A Princesa Coco precisa retomar o controle de seu reino e de seu Exército. Porém, sua cabeça está a prêmio. O Exército, que costumava comandar, está dividido. É preciso aliados. É preciso enfrentar sua família. É preciso superar um obstáculo desconhecido e ameaçador: a magia.
Coco está acostumada a vencer desafios, mas será ela capaz de sair vitoriosa da maior provação de sua vida?”

Onde comprar: Amazon
Contato com a autora: Instagram

Resenha: Pareidolia - Luiz Franco


Título: Pareidolia
Autor(a):  Luiz Franco
Editora: Escape
Páginas: 93
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: SOS Nave Mãe e Amazon (Ebook). 
Sinopse: "Pareidolia é o primeiro livro de contos do poeta, técnico gráfico, produtor cultural, professor e arqueólogo, entre outras coisas, Luiz Franco. Ecos de cada uma destas profissões que o autor exerce ou já exerceu se encontram nos textos aqui selecionados. A preocupação com a beleza e o ritmo do texto são fruto da cancha como poeta. A ironia, o humor e o gosto pela polêmica são indissociáveis da persona do autor, e aqueles que já acompanharam seu blog estão familiarizados com o estilo inciso e polêmico de Luiz ao tratar os mais diversos assuntos. O produtor cultural exigente, solidário e guerrilheiro, com seu estilo de produção punk rococó, é o responsável pela edição do livro independente de editoras e jabás, mas com editoração cuidadosa e caprichada, solidificada pelo trabalho talentoso do amigo e artista Gustavo Lambreta. O professor é uma das muitas faces do contista, preocupado em fazer divertir, mas fazer pensar e tratar de assuntos sérios sem intelectualismos. O arqueólogo dialoga com o poeta e escava as várias camadas da terra literária, em busca da raiz dos sentimentos."


"Pareidolia" é um livro de contos diferentes e divertidos, cada qual a sua maneira.

De modo que mexe conosco, cada conto narra um instante, um passeio pela cidade, um devaneio, ou uma situação do cotidiano, nos mostrando percepções distintas e narradas com uma escrita imaginativa. São histórias sem sentido, mas ao mesmo tempo tentando fazer sentido e repletas de sentido (como o próprio título já diz), deu pra entender?!

Em "Beto e as pombas" encontramos um assassinato, um julgamento e a capacidade do autor de observar algo aparentemente banal, do nosso dia-a-dia e transformar em algo surreal. 

"A música serve para alterar as minhas ideias e me deixar desatento, não são os versos que me fazem refletir e sim as melodias, a harmonia. A música é como uma droga na minha vida e chego a desconfiar que se eu pudesse colocar certos LPs ou CDs debaixo da língua, com certeza teria alucinações reconfortantes"

"Procura-se um novo domingo" é uma repetição curiosa de fatos e possibilidades, que vão se esgotando de um jeito curioso. 

"Rompi com o afeto para alimentar o ego."

"Perlavado" é o conto que possui lição de moral, surrealismo e um tipo de "despertador" para a realidade. 

"Todos ali engarrafados, pensando no trânsito que não anda, no tempo que não passa, nas voltas que o mundo dá nesse círculo viciado."

"Instante" é um conto feito de verdadeiros instantes e totalmente descritivo. 

"O tilintar estridente daquele aparelho tocando a mesma melodia a cada cinco minutos era o suficiente para irritar profundamente qualquer um em sã consciência, depois de mais de 30 minutos. O problema não era a consciência, era a ressaca."

"O relógio da estação" é o caso da relatividade do tempo e das obrigações, que fazem com que o tempo não passe ou que quando veja já acabou, um pouco angustiante. 

"Mas eu concordo ainda mais que a gente tem de conhecer as pessoas. As pessoas se esquecem que nem todo beijo é pecado, nem toda fruta é maçã, nem todo réu é culpado e nem toda culpa é cristã."

E por último o meu preferido, "Uma dose de rum a menos", uma dose a mais, uma troca de identidades e uma confusão arrumada, o conto para fazer rir e ensinar lições sobre aparências. 

"As pessoas precisam pensar com calma nas coisas que acontecem, eu agora penso que a estrada da vida tem ida e volta, ninguém foge do destino, esse trem que nos transporta."

O livro mexe com nossos sentidos e com o nosso humor de várias formas, principalmente por não se comunicar só com texto, já que a diagramação se alterna de acordo com o conto, tendo cada um a sua própria e ilustrada de acordo (e todas ficaram muito bonitas e bem feitas, por sinal). A capa dura, com aspecto velho, um chapéu e letras vermelhas dançaram em harmonia com o texto. O resultado foi um conjunto que nos faz pensar se fantasia e realidade podem realmente se misturar, e o que pode resultar essa união.

"Tem algum outro conselho, algo que seja muito importante, algo que você sabe que pode mudar ainda mais a nossa vida, que pode me fazer viver bem?
- Sim, cuidado com melancias, elas podem te matar."

Finalizando a leitura com algumas perguntas, percebi que era apenas questão de interpretação e por isso recomendo para todos que querem sair da zona de conforto, viajar um pouco e entrar em um verdadeiro jogo mental. 

(Meu exemplar autografado e na outra foto os marcadores lindos com poesia que recebi também do autor.)

Espero que tenham gostado, e me contem aqui se já leram ou pretendem. 


  • Curiosidade: Você sabe o que é Pareidolia? 

Pareidolia é um fenômeno psicológico comum em todos os seres humanos, conhecido por fazer as pessoas reconhecerem imagens de rostos humanos ou animais em objetos, sombras, formações de luzes e em qualquer outro estímulo visual aleatório.
Mesmo sendo mais comum a pareidolia de imagens, este fenômeno também engloba os sons, fazendo com que uma sequência de ruídos seja interpretada como palavras ou frases com algum significado para o ouvinte.
Por exemplo, em músicas que são reproduzidas ao contrário, muitas pessoas alegam ouvir mensagens que são supostamente consideradas mensagens subliminares, quando na verdade pode não passar de uma simples pareidolia sonora.

Um beijo e um queijo ;*

Apresentando: O Androide - Paulo de Castro

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Depois de um tempo sumida, voltei e pretendo colocar todos os posts em dia... Com isso, hoje venho apresentar "O androide" do autor parceiro @paulosalate que recebi dia 26/09 para o projeto #ValorizandoNacionais.


Sinopse: Os humanos estão extintos há mil anos devido a uma guerra entre humanos e máquinas. Ao final da guerra, antes que os robôs iniciassem seu império, um vírus é disseminado entre eles, que perdem sua inteligência artificial. Uma máquina se autoproclama imperador e começa a perseguir os androides que escaparam do vírus. Quando um robô médico e um robô engenheiro se encontram ao acaso, resolvem juntos trazer os humanos de volta à vida.

Sinopse da quarta capa: "Percebeu que se, de fato, um Deus que zela pelos humanos existisse, não designaria uma máquina para ser o profeta. Esse Deus, ora cruel, ora misericordioso, nem ao menos permitiria a própria extinção dos seres humanos. Poderia a máquina ser esse Deus, dando vida de novo aos homens?. Esse e outros sinais elétricos varriam o pro­cessador de JPC-7938 com velocidade sobre-humana. Processava uma infinidade de outras informações ao mesmo tempo, o que diminuía ainda mais a energia da sua bateria. Talvez era isso mesmo que ele quisesse, para consumar de uma vez o que já estava fadado ao fracasso. Sua bateria durou quatro horas até o desligamento completo. Nessas intermináveis horas, em que não via nada além da densa neblina, que ofuscava o céu azul, cercado de nuvens brancas, percebeu que tudo não passava de coincidência. Que o planeta fora criado, de fato, ao acaso, e que não havia um destino ou uma missão a ser cumprida; apenas a existência, até o inevitável dia do fim."

Me contem aqui se já leram ou pretendem! 😘

Resenha: É Inverno - Cecília Mouta


Título: É Inverno
Autor(a):  Cecília Mouta
Editora: Chiado
Páginas: 346
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Chiado e Livraria Cultura.
Sinopse: "Izzy é fascinada pela neve, o inverno é sua estação do ano preferida. Todos os dias, na escola, ela se diverte com seus melhores amigos: Lil, Sam e Mat. Porém, Lil sofre de pesadelos e toda vez que os tem, algo ruim acontece em seguida.
Naquele ano o inverno estava diferente, intenso. E, certo dia, Lil tem um pesadelo que muda completamente a vida dos quatro amigos. Os episódios seguintes levam o leitor a viver momentos emocionantes nas descobertas que Izzy faz sobre a própria vida. Até que chega o momento crucial em que ela tem que fazer uma escolha que poderá colocar um ponto final em toda a sua história até ali, inclusive na amizade com sua melhor amiga Lil."


Em "É Inverno" vamos conhecer Izabel, ou Izzy como ela prefere, uma menina de oito anos extremamente expressiva, que às vezes se pega pensando no sentido da vida e sonhando acordada com seu futuro, ama o inverno e a neve, sua família, seus amigos Lil, Mat e Sam e se encontra ansiosa para comemorar seu aniversário de nove anos. 

'' Não importa quanto tempo dure, quantos invernos demorem, você será o Flocus na vida de alguém e alguém será na sua. E juntos, vocês vão formar um lindo inverno. ''

Seus dias na escola de St. Westwood são fascinantes, mas não por causa das aulas, e sim por causa de seus amigos, que são um quarteto desde sempre (ou de quando se lembram) graças aos seus pais que também são amigos, e estão sempre juntos se divertindo. Porém, Lil tem um dom peculiar, ela tem pesadelos. Mas não são pesadelos comuns, os de Lil acontecem na vida real. 

'' -Não tenha medo. Eu sei que hás vezes o conhecido torna-se mais apavorante que o desconhecido, mas se sucumbirmos aos nossos medos, vamos viver sempre trancados para a vida. ''

Em uma manhã, Izzy chega à escola e percebe que sua amiga está diferente, e depois de muita insistência, revela que um sonho ruim é o motivo de sua tristeza e preocupação. Logo após, um incidente horrível acontece e os quatro amigos são afetados de maneira brutal, mudando completamente o destino deles. Izzy então vai para seu lugar preferido, uma pedra de frente para o lago no bosque perto de sua casa, para conseguir pensar, e a partir daí, somos apresentados à segunda parte do livro. 

"A bomba explodiu. Havia pedaços do meu coração voando para todos os cantos do meu corpo. Minha mente havia se tornado um borrão.” 

“... mesmo triste nunca deixe de se encantar pelas coisas simples que sempre lhe encantaram antes.”

A história dá um salto de 9 anos. Izzy e Lil são líderes de torcida e as mais populares da escola e Matt se torna dependente químico e nunca mais quis saber das melhores amigas de infância. Apesar do que aconteceu no passado, tudo parece perfeito no momento e Izzy está prestes a completar os tão sonhados 18 anos, até que coisas estranhas começam a acontecer e fatos do passado voltam para assombrá-la. Entretanto, tudo tem um motivo para ajudá-la a encarar o que está por vir. 

“- Fico feliz que esteja crescendo e amadurecendo, Izzy.
- Às vezes não temos escolhas, mãe – voltei a olhar pela janela. – Eu não gostaria de crescer, mas a vida não nos dá essa opção.”

Ao final do livro, quando a verdade da história nos é apresentada, estamos complemente de queixo caído e destruídos graças aos acontecimentos marcantes. É um livro que vai te fazer chorar, sorrir, lembrar, pensar e refletir em apenas algumas poucas páginas, mas além de tudo vai ensinar, pois não importa o quão triste e destituída de beleza e encanto a vida possa ser, nós teremos que enfrentá-la. 

"A vida pode e irá mudar inúmeras vezes, Flocus. Mas se você conseguir manter a sua essência administrará melhor as mudanças."

Os personagens secundários foram muito bem construídos. A trama foi bem elaborada, de forma que nada se perdesse ao fim e não ficasse pontas soltas. O livro é narrado em primeira pessoa, pela Izzy, nos fazendo sentir exatamente o que ela está sentindo e passando. E por ser narrado por uma criança (na primeira parte), somos capazes de ver a inocência e a pureza que só as crianças tem, como vêem os acontecimentos, como cada detalhe é importante no seu dia e o fato de não conhecerem o significado de certas palavras. Não tem como ler e não sentir saudade da própria infância, de como tudo era simples e sem muita preocupação. 

“Não é porque crescemos que devíamos apagar os significados da nossa infância. Afinal, a infância era a parte da vida onde éramos mais inteiros.”

A capa é linda e coerente com o enredo, já que os acontecimentos são sempre expressados no inverno e o floco de neve tem um significado marcante para a protagonista. A fonte é de um bom tamanho, e as folhas são amareladas, resultando em um ótimo conjunto para leitura. 

“A verdade era que não importa se vivemos oito ou oitenta anos. A vida sempre será curta, porque sempre haverá sonhos a serem realizados, e não teremos tempo para eles.”

O livro mostra que com o passar dos anos, vamos deixando uma parte de nós para trás, ficamos mais rígidos por dentro, sem coragem ou/e com vergonha de expor o que sentimos. É uma obra sensível que fala sobre a vida, escolhas, nossa mania de pensar no futuro esquecendo-se de viver o presente, deixando os acontecimentos mais preciosos passarem despercebidos. Nos mostra como tudo pode mudar de repente, como a vida é uma caixinha de surpresas e que não podemos prever nada. E também como as pessoas mudam e é importante estar presente se alguém precisar. Um drama doce e cruel ao mesmo tempo, cheio de mistérios e envolvendo um leve suspense.

 “As pessoas viviam se perdendo no futuro ou no passado e acabavam deixando a possibilidade de viver o tempo presente.”

“É Inverno” é aquele livro que consegue te prender do início ao fim, e que vai mudar a sua forma de enxergar a vida. Cecília tem um talento que poucos escritores têm, escreve sobre o passado, presente e futuro de forma clara e verdadeira sem nos deixar perdidos, pelo contrário, nos faz pedir por mais. 

 “ – É difícil deixar ir aquilo que faz parte da gente.” 

(Meu exemplar autografado e com marcador.)

Entrou para os favoritos, ficou cheio de post-its graças aos quotes maravilhosos, e recomendo de olhos fechados! 

“Podia ser uma bobagem minha, que estava me apegando a detalhes, mas não é nos detalhes que a gente realmente conhece uma pessoa?” 

Espero que tenham gostado e me contem aqui se já leram ou pretendem! 
Um beijo e um queijo ;*

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Apresentando: Promíscuo ser de partitura finita - Cris Coelho

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Dia 23/09 recebi mais um livro, super aguardado, para o projeto #ValorizandoNacionais, "Promíscuo ser de partitura finita" da autora parceria Cris Coelho (@promiscuoser).


Sinopse: "Duas vidas entrelaçadas por um mesmo propósito. Um carma, que é passado por diferentes gerações unindo duas mulheres em épocas distintas, guia a história de 'Promíscuo Ser de Partitura Finita'. A obra mostra, de um lado, Maria Scarlet, uma prostituta de um passado distante que, após apanhar muito da vida, consegue se estabelecer como dona de um bordel. Com o tempo, o bordel ganha fama e se torna referência na pacata Holanda de 1750, derivando a qualidade de seu nome para a rua a qual o estabelecimento funcionava: 'Red Street', atualmente conhecida como 'Red Light'.
Do outro lado, está Anna Lara, uma mulher frágil e atormentada pelas lacunas do seu sombrio passado. Com o suporte de Maria Scarlet, Anna Lara cria defesas emocionais por meio da energia sexual que recebe de sua protetora e se torna participante ativa e assídua de toda forma de desvio sexual, ao lado de seu parceiro de vida, Jota Jr. 
Em 'Promíscuo Ser de Partitura Finita', enredo psicológico completamente envolvente, Anna Lara esbarra nas lacunas sexuais escondidas nas partituras não terminadas de um universo promíscuo e misterioso."

Alguém aí já leu ou ouviu falar e pretende ler? Me contem aqui! 😘

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Resenha: Demônios Domésticos - Tiago Germano


Título: Demônios Domésticos
Autor(a): Tiago Germano
Editora: Le Chien
Páginas: 128
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: A Boa Prosa 
Sinopse: "As crônicas, divididas em períodos que vão da infância à idade adulta, mostram toda a poesia e o assombro daquelas lembranças que precisamos aprender a domar para seguir existindo.
Diante de um carro de som que anuncia a morte dos habitantes de uma cidade e da coleguinha enterrada com o uniforme da escola, um garoto do interior descobre a finitude do mundo e a precariedade das coisas. Nos parênteses abertos por um sorriso e no erotismo imprevisto de alguém comendo paçoca no vagão de um trem, o garoto descobre o amor, seus gestos, seus gostos, um inventário de burburinhos que ele guarda junto com sua coleção de palavras, no fundo de uma gaveta.
Demônios Domésticos, livro de estreia de Tiago Germano, é uma coletânea dos textos narrativos que o autor publicou ao longo de sua carreira como jornalista. As crônicas, divididas em períodos que vão da infância à idade adulta, mostram toda a poesia e o assombro daquelas lembranças que temos que aprender a domar para seguir existindo.
Ao longo das páginas, vamos conhecendo as histórias e os personagens que habitam o imaginário do escritor, este território em que criaturas do passado se misturam a personagens do presente, e o domínio da ficção começa a transpor os limiares do real, passeando junto com ele pela cidade e encharcando seu olhar sobre o cotidiano."


"Demônios Domésticos" é um livro de crônicas e boas memórias.

"...o verdadeiro artista é aquele que sabe o valor inestimável das coisas esquecidas."

Apesar do nome lembrar algo "ruim", o autor fala sobre sentimentos e recordações. É um livro que nos remete a memórias da infância, dúvidas que nos acompanham durante a vida, observações e comentários que captam os pequenos acontecimentos que nos movem.

"Com a coragem que hoje, nos eventos de que participo, procuro, mas não acho, arranquei do fundo da alma a dúvida atordoante: 'Padre, o Papa vai ao banheiro?'"

Palavras são colocadas nas páginas com intensidade, de maneira que nos faz perceber exatamente tudo o que o autor quer passar através da escrita e exatamente a importância que isso tem ao nos mover.

"...mas livrai-nos do 'Malamen', não é assim que todos rezam?"

O livro é dividido em quatro partes, sendo elas: "A infância, seus modos e seus medos", "O amor, seus gestos e seus gostos", "A rua, suas bocas e seus becos", e "O ofício, seus mitos e seus mundos". As crônicas relatam justamente temas que são abordados nos títulos destas partes, e os relatos são escritos de maneira única, nos transmitindo um misto de sensações e ainda arrancando boas risadas. 

"Minha coleção de palavras, que de repente cresceu e se desmembrou, hoje não cabe mais em meus cadernos. Aqueles dois grandes grupos foram criando subgrupos de palavras que diferentes de seus significados originais, se confundem com cores, dias da semana, cidades ou pessoas da família. Quem nunca se olhou no espelho e se achou com cara de domingo?"

E falando em crônica, todas (TODAS), foram escritas excepcionalmente bem, nos fazendo viajar para dentro do livro e nos banquetear a cada uma lida. E falando a verdade, não consegui escolher minha favorita pois foram muitas!

"De repente, daquelas duas bochechas cheias de amendoim, vi brotar o único sorriso que restava de inédito no mundo."

Um emaranhado de ideias muito bem delineadas, que nos fazem viajar. A edição ficou muito bonita sendo toda colorida por dentro, e com uma diagramação simples, porém extremamente confortável para ler. É uma leitura fluída, e que ao mesmo tempo em que nos tira da realidade nos mostra exatamente essa, mas de forma original e descontraída. 

"Desconfiar da sorte é como amar sem se arrepender. E nós amamos como nos arrependemos: mais pelo que não houve que pelo o que está por vir. Nós amamos como sentimos saudades: menos pelo que nos foi tirado que pelo que nos acrescentou. Nós amamos como morremos: sempre em vida, nunca no instante próprio da morte."

Um livro bem curtinho, que nos faz refletir, mas que dá gosto de ler. Vale a pena pelo capricho, simplicidade dos traços e intensidade das palavras. E quando finalizamos, sentimos que acrescentou imensamente em nossa bagagem literária.

"Peço a meus leitores que não desistam: quem sabe se. num dia de estiagem, minhas vacas magras não resolvam se alimentar de suas fábulas? Quem sabe se, nesses dias, um apetite descomunal não faça florescer boas crônicas, com o humor que tanto lhes apetece e com uma pitada de realismo mágico? Quem sabe se, você, leitor, isso mesmo, você, não se convide a escrevê-las de seu próprio punho? As ideias você já as tem, o desafio eu o estendo a você. 
Sua vida renderia um romance? Então, escreva."

Meu exemplar ficou inteiro cheio de post-its e se desse eu colocaria todos os quotes incríveis aqui rs Super recomendado! 

(Meu exemplar autografado e com marcador!)

Espero que tenham gostado, e me contem se pretendem ler ou se já leram, vou adorar saber.
Um beijo e um queijo ;*

Apresentando: Sob sua proteção - Cleia Lira

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Hoje venho apresentar o 2º livro que recebi dia 22/09 para o projeto #ValorizandoNacionais, "Sob sua proteção", da parceira @escritora_cleialira



Sinopse: "A jovem Mila tinha um sonho: ser bailarina! Mas para uma moradora do Morro do Alemão isso era quase impossível. Porém no seu aniversário de 18 anos ela conseguiu o que parecia o presente perfeito, mas transformou-se no seu pior pesadelo. Sua vida que já não era fácil ficou insuportável e quando se vê perdida, o jovem investigador da polícia federal, Nick entra em ação para protegê-la e o que era apenas uma missão, tornou-se sua razão de viver e agora ele será capaz de dar sua vida por ela."

Alguém aí já leu ou pretende? Me contem aqui! 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Resenha: Uma vez você, uma vez eu - Diego Martello


Título: Uma vez você, uma vez eu
Autor(a): Diego Martello 
Editora: Novo Século (Talentos da Literatura Brasileira)
Páginas: 184
Ano de lançamento: 2015
Onde comprar: SaraivaAmazonLojas Americanas e Submarino.  
Sinopse: "Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar, o que frustra o casal. A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos. Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles. Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade."
Booktrailer do livro

Em "Uma vez você, uma vez eu" temos como protagonista Willian, um homem bem sucedido, e marido de Eva, que tenta a todo custo engravidar sem obter sucesso. Além disso, não mantém contato com o pai desde um desentendimento na empresa do mesmo, a D&D, gerado por insatisfação pessoal e imaturidade de Willian.


"Ouvir ou desejar bom-dia, em minha mente, era como se descartássemos o dia anterior e começássemos este novo dia, nus e inocentes. O bom-dia lembrava um recomeço."

Possuindo alguns dilemas pessoais que o desestabilizam diariamente, Willian acaba se vendo infeliz quando acredita que sua vida pessoal está desmoronando lentamente. Após receber um telefonema com a notícia de que seu pai havia sofrido um acidente de moto, aceita se reaproximar visitando-o, ao mesmo tempo em que relembra memórias de sua vida, como sua infância e sua mãe. E é a partir daí, que observamos o crescimento de Willian e as surpresas que lhe esperam. 


"Queria mudar minha vida, mas tinha medo de enfrentar o primeiro degrau que me levava à mudança. Não encarava a escada, mas sempre procurava saber onde ela estava para poder sentir que ainda tinha uma opção a escolher." 

Chegando a casa do pai, lhe pede para que conclua o projeto que começou para os membros da empresa levando um envelope para o topo da montanha atrás da casa. Willian recua, mas acaba aceitando sem saber que ali estaria uma missão particular e a chave para refletir sobre sua vida, passado e presente, e decidir sobre a melhor maneira para vivê-la.  


"Você é como uma música que toca nos ambientes em que entra. Cabe a você ser agradável ou não. Nenhuma nota passa despercebida."

Embora o livro possua parágrafos bem grandes, esta é uma obra que nos faz refletir juntamente com o personagem, nos lança ensinamentos e lições de vida que nos alcançam de forma incomparável. O autor foi extremamente inteligente ao transmitir suas mensagens, nos mostrando: posicionamento, arrependimento, valores, recomeço, auto-estima, e principalmente perdão, de forma única. Aprendemos que algo simples pode ganhar enormes proporções. E que as soluções somente são encontradas se forem observadas por outro ângulo, ao invés de problematizarmos ainda mais as situações, já que nenhum problema é solucionado no caos, mas no silêncio, quando procuramos compreender e enxergar da melhor forma. 


"Portanto, não mais amaldiçoaremos as pedras em nosso caminho ou abençoaremos as planícies, mas entenderemos suas diferenças e benefícios firme com nossos próprios passos e podermos continuar a caminhar, independente do terreno".

O que o livro nos passa é exatamente o valor da vida. Lembrando, que é sempre necessário uma lavagem na alma para conseguir seguir em frente, sem guardar mágoas do passado, e que não importam as circunstâncias, é fundamental demonstrarmos amor e afeto a quem queremos e temos por perto, já que não sabemos o dia de amanhã e talvez ele se quer exista. Um livro que a cada página virada era como uma tapa na cara para a realidade (o que me fez marcá-lo quase todo), uma verdadeira obra para ser degustada, e gratificante é a palavra que eu tenho para definir!


"Os problemas e os obstáculos que aparecerão ou que você mesmo tenha criado, sempre estarão a um nível a mais que sua capacidade de superá-los. Eles estarão lá em cima, ansiosos, lhe chamando para alcançá-los lhe atentando para que suba mais um degrau, pois eles desejam ser vencidos, derrotados para que possam voltar ainda mais fortes, quando lhe provocarão para que os vença novamente." 

A narrativa é em primeira pessoa, o que instiga a sair do automático, fazendo parar, refletir e propor-se a entender a história. A capa combina perfeitamente com a essência do livro. A diagramação ficou muito boa, tendo as letras de um tamanho confortável para leitura, páginas amareladas e com detalhes no início de cada capítulo. 


"Mas, então, por que não recomeçar desde agora? Quer aguardar a morte chegar para uma segunda chance? O que o impede? O recomeço não é um ponto de início, e sim parte do caminho como um todo. Caminhamos, todos os dias, pelo mesmo gramado, porém não há nada de errado em aprender a caminhar de forma mais leve." 

Sendo uma onda constante de emoções, é um livro perfeito para quem quer "acordar" e sair da zona de conforto. Super recomendado e favoritado!


''Se um dia a vida não estiver exigindo de você, então você já não estará mais vivendo.''

(Meu exemplar autografado e com os marcadores do livro.)

Espero que tenham gostado da resenha, e não deixem de me dizer se já leram ou pretendem ler!
Um beijo e um queijo ;*

Apresentando: Ainda não acabou - Janaina Soares

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Que essa semana seja repleta de coisas boas para todos nós 🙌🏻 E agora venho apresentar mais um livro que recebi para o projeto #ValorizandoNacionais, o "Ainda não acabou" da autora parceira @janaina.so


Sinopse: "Dalila e Marcos são um modelo de casal: lindos, ricos e muito apaixonados. Ele é um advogado renomado e trabalha na empresa da família ; ela é uma professora que trabalha apenas por prazer. Quando ele decide mudar de profissão e se arriscar em um negócio de restaurantes, investe tudo o que possui e, sem um plano definido, acabam perdendo todos os bens do casal, inclusive a mansão onde moram. Marcos entra em uma depressão profunda, e Dalila começa a se prostituir para pagar as dívidas. Quando ele descobre dos programas, expulsa-a de sua vida e ela perde a memória em um acidente de trânsito. Três anos depois eles se reencontram e se apaixonam perdidamente, sem Dalila ter conhecimento de que Marcos e seu marido."

Me contem se já leram ou pretendem aqui, vamos bater um papo! 
Um beijo e um queijo 😘