quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Resenha: É Inverno - Cecília Mouta


Título: É Inverno
Autor(a):  Cecília Mouta
Editora: Chiado
Páginas: 346
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Chiado e Livraria Cultura.
Sinopse: "Izzy é fascinada pela neve, o inverno é sua estação do ano preferida. Todos os dias, na escola, ela se diverte com seus melhores amigos: Lil, Sam e Mat. Porém, Lil sofre de pesadelos e toda vez que os tem, algo ruim acontece em seguida.
Naquele ano o inverno estava diferente, intenso. E, certo dia, Lil tem um pesadelo que muda completamente a vida dos quatro amigos. Os episódios seguintes levam o leitor a viver momentos emocionantes nas descobertas que Izzy faz sobre a própria vida. Até que chega o momento crucial em que ela tem que fazer uma escolha que poderá colocar um ponto final em toda a sua história até ali, inclusive na amizade com sua melhor amiga Lil."


Em "É Inverno" vamos conhecer Izabel, ou Izzy como ela prefere, uma menina de oito anos extremamente expressiva, que às vezes se pega pensando no sentido da vida e sonhando acordada com seu futuro, ama o inverno e a neve, sua família, seus amigos Lil, Mat e Sam e se encontra ansiosa para comemorar seu aniversário de nove anos. 

'' Não importa quanto tempo dure, quantos invernos demorem, você será o Flocus na vida de alguém e alguém será na sua. E juntos, vocês vão formar um lindo inverno. ''

Seus dias na escola de St. Westwood são fascinantes, mas não por causa das aulas, e sim por causa de seus amigos, que são um quarteto desde sempre (ou de quando se lembram) graças aos seus pais que também são amigos, e estão sempre juntos se divertindo. Porém, Lil tem um dom peculiar, ela tem pesadelos. Mas não são pesadelos comuns, os de Lil acontecem na vida real. 

'' -Não tenha medo. Eu sei que hás vezes o conhecido torna-se mais apavorante que o desconhecido, mas se sucumbirmos aos nossos medos, vamos viver sempre trancados para a vida. ''

Em uma manhã, Izzy chega à escola e percebe que sua amiga está diferente, e depois de muita insistência, revela que um sonho ruim é o motivo de sua tristeza e preocupação. Logo após, um incidente horrível acontece e os quatro amigos são afetados de maneira brutal, mudando completamente o destino deles. Izzy então vai para seu lugar preferido, uma pedra de frente para o lago no bosque perto de sua casa, para conseguir pensar, e a partir daí, somos apresentados à segunda parte do livro. 

"A bomba explodiu. Havia pedaços do meu coração voando para todos os cantos do meu corpo. Minha mente havia se tornado um borrão.” 

“... mesmo triste nunca deixe de se encantar pelas coisas simples que sempre lhe encantaram antes.”

A história dá um salto de 9 anos. Izzy e Lil são líderes de torcida e as mais populares da escola e Matt se torna dependente químico e nunca mais quis saber das melhores amigas de infância. Apesar do que aconteceu no passado, tudo parece perfeito no momento e Izzy está prestes a completar os tão sonhados 18 anos, até que coisas estranhas começam a acontecer e fatos do passado voltam para assombrá-la. Entretanto, tudo tem um motivo para ajudá-la a encarar o que está por vir. 

“- Fico feliz que esteja crescendo e amadurecendo, Izzy.
- Às vezes não temos escolhas, mãe – voltei a olhar pela janela. – Eu não gostaria de crescer, mas a vida não nos dá essa opção.”

Ao final do livro, quando a verdade da história nos é apresentada, estamos complemente de queixo caído e destruídos graças aos acontecimentos marcantes. É um livro que vai te fazer chorar, sorrir, lembrar, pensar e refletir em apenas algumas poucas páginas, mas além de tudo vai ensinar, pois não importa o quão triste e destituída de beleza e encanto a vida possa ser, nós teremos que enfrentá-la. 

"A vida pode e irá mudar inúmeras vezes, Flocus. Mas se você conseguir manter a sua essência administrará melhor as mudanças."

Os personagens secundários foram muito bem construídos. A trama foi bem elaborada, de forma que nada se perdesse ao fim e não ficasse pontas soltas. O livro é narrado em primeira pessoa, pela Izzy, nos fazendo sentir exatamente o que ela está sentindo e passando. E por ser narrado por uma criança (na primeira parte), somos capazes de ver a inocência e a pureza que só as crianças tem, como vêem os acontecimentos, como cada detalhe é importante no seu dia e o fato de não conhecerem o significado de certas palavras. Não tem como ler e não sentir saudade da própria infância, de como tudo era simples e sem muita preocupação. 

“Não é porque crescemos que devíamos apagar os significados da nossa infância. Afinal, a infância era a parte da vida onde éramos mais inteiros.”

A capa é linda e coerente com o enredo, já que os acontecimentos são sempre expressados no inverno e o floco de neve tem um significado marcante para a protagonista. A fonte é de um bom tamanho, e as folhas são amareladas, resultando em um ótimo conjunto para leitura. 

“A verdade era que não importa se vivemos oito ou oitenta anos. A vida sempre será curta, porque sempre haverá sonhos a serem realizados, e não teremos tempo para eles.”

O livro mostra que com o passar dos anos, vamos deixando uma parte de nós para trás, ficamos mais rígidos por dentro, sem coragem ou/e com vergonha de expor o que sentimos. É uma obra sensível que fala sobre a vida, escolhas, nossa mania de pensar no futuro esquecendo-se de viver o presente, deixando os acontecimentos mais preciosos passarem despercebidos. Nos mostra como tudo pode mudar de repente, como a vida é uma caixinha de surpresas e que não podemos prever nada. E também como as pessoas mudam e é importante estar presente se alguém precisar. Um drama doce e cruel ao mesmo tempo, cheio de mistérios e envolvendo um leve suspense.

 “As pessoas viviam se perdendo no futuro ou no passado e acabavam deixando a possibilidade de viver o tempo presente.”

“É Inverno” é aquele livro que consegue te prender do início ao fim, e que vai mudar a sua forma de enxergar a vida. Cecília tem um talento que poucos escritores têm, escreve sobre o passado, presente e futuro de forma clara e verdadeira sem nos deixar perdidos, pelo contrário, nos faz pedir por mais. 

 “ – É difícil deixar ir aquilo que faz parte da gente.” 

(Meu exemplar autografado e com marcador.)

Entrou para os favoritos, ficou cheio de post-its graças aos quotes maravilhosos, e recomendo de olhos fechados! 

“Podia ser uma bobagem minha, que estava me apegando a detalhes, mas não é nos detalhes que a gente realmente conhece uma pessoa?” 

Espero que tenham gostado e me contem aqui se já leram ou pretendem! 
Um beijo e um queijo ;*

4 comentários:

  1. Que resenha emocionante, Carol! Amei! Muito obrigada pelas lindas palavras <3

    ResponderExcluir
  2. Uma resenha completa. Parabéns, Carol!Você conseguiu passar muito bem as emoções deste livro,que não são poucas.❤❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito gratificante saber que você gostou tanto assim rs obrigada!!

      Excluir