quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Resenha: Marketing e Amor - Rebecca Romero


 Título: Marketing e Amor
Série: Empire State (Livro 1)
Autor(a):  Rebecca Romero
Editora: Independente
Páginas: 234
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Ebook na Amazon, Físico dretamente com a autora através do e-mail.
Sinopse: "Margot O’Hara é uma das empreendedoras mais bem-sucedidas do país e tem sua vida inteiramente como ela sonhou. Vendo mais uma oportunidade, ela aceita a proposta que a família Renard lhe apresenta: uma parceria para que ela ajude a salvar uma agência de relacionamentos que está propensa a falir.
Elijah Renard, por outro lado, está infeliz com seu trabalho. Mas quando passa a conhecer Margot, ele começa a sentir uma chance de reatar seu interesse nos negócios da família.
Seguindo esse caminho de marketing e empreendedorismo, Margot e Elijah iniciam um vínculo que vai além do digital."


Margot O' Hara é uma mulher indepente, decidida, bem sucedida, bonita, desapegada e de personalidade forte, que ficou bilionária antes dos 30 anos por correr atrás de seus sonhos. Uma jovem empreendedora publicitária e palestrante motivacional de marketing digital, que mora em Nova York com seu cachorrinho Scooby e é extremamente satisfeita com tudo o que conquistou na sua vida. Possui pais amorosos, um irmão atencioso, uma sobrinha apaixonante e uma melhor amiga sócia quase irmã. 

“Mulheres independentes são muito bonitas.”

“Não é todo trabalho que nos deixa ricos e ao mesmo tempo livres,” eu digo. “Felicidade está no tempo que temos para aproveitar nosso dinheiro.”

Justamente por conta de seu trabalho, conhecemos Elijah Renard, um homem rico, bonito, e executivo muito bem sucedido que está prester a assumir a empresa de seu pai, que compra empresas falidas, fazendo-as voltar ao mercado com sucesso.  

“E o sotaque britânico dele complementa...”

Apesar de gostar muito do que faz, ultimamente Elijah tem estado desanimado e não se sente motivado a nada. Com isso, seu pai resolve procurar Margot para tentarem alavancar um novo négocio com uma proposta de marketing inovadora, fazendo-os firmar uma parceria de trabalho e consequentemente se aproximarem mais. O que não esperavam era que uma amizade pudesse mudar tanto a vida dos dois e quem sabe, fazer surgir sabe um novo amor?!

"Antes, eu via a publicidade só como uma forma de ganhar mais dinheiro. Agora, eu vejo a publicidade como uma forma de unir pessoas."

Os personagens secundários são bem variados e representam papéis importantes na vida dos protagonistas, fazendo total diferença no enredo, deixando-o mais envolvente. E além de ajudar também no desenvolvimento e amadurecimento de ambos, nos faz querer saber mais sobre cada um. 

“Porque eu gosto da sua companhia,” ele responde sem hesitação. Um movimento de cabeça e eu digo, “E eu gosto que você gosta da minha companhia.”

No livro os capítulos são alternados entre Elijah e Margot, de forma que conseguimos entender os dois lados sem dificuldade. Porém, quando descobrimos que Elijah tem uma doença grave, sentimos que essa parte e o personagem, poderiam ter sido melhor explorados e desenvolvidos. A falta de estrutura em relação a sua história e à sua doença, de certa forma, deixaram superfial demais. 

“Acho que é porque vivemos em um mundo em que nossos problemas são diminuídos. As pessoas diminuem eles e quando nós falamos, parece que nós mesmos estamos diminuindo nossos problemas, exatamente porque o mundo diminui eles.”

A protagonista foi bem desenvolvida, nos mostrando que não devemos ter medo de mostrar nosso lugar na sociedade. O casal foi bem construído, o romance acontece de forma lenta, e conseguimos ver como um se sente atraído pelo o outro nos deixando ansiosos pelo o que pode acontecer. Sem contar que nos faz dar boas risadas durante a leitura.

"...mas se você me pedir para eu não ser eu mesma, eu vou sim me colocar em primeiro lugar. E isso não se chama egoísmo, querido. Se chama self-love. Obtenha algum.”

“Você mostra que nós garotas podemos ser o que quisermos ser e fazer o que quisermos fazer.”

Rebecca tem um escrita fácil e objetiva, o livro tem capítulos curtos e juntos resultam em uma leitura rápida e fluída, tirando a parte que possui muitas expressões em inglês, deixando bem divertido mas também aleatório (confesso que me perdi um pouquinho e acho que poderiam ter observações no rodapé com o significado..). 

"O mundo está em constante mudança e é sempre bom nos adaptarmos a ele. Eu já estou na frente. Eu não irei cursar em uma universidade só porque a sociedade diz que essas são as regras. Vencer na vida significa ser quem você quiser ser. Eu sou a minha pessoa, não da sociedade. O mundo é meu."

Com ótimas indicações de séries e filmes, personagens mente-aberta, uma incrível descrição de Nova York (nos deixando com uma enorme vontade de morar lá haha), e cenas quentes (BEM quentes), "Marketing e Amor" é uma ótima indicação de livro para ser lido em uma tarde. Sem esquecer da capa, que está simples mas muito bonita. 

“Meu homem é o único que me faz ficar de joelhos.” “Eu sou o seu homem?” “Hoje, você é.”

Um livro que nos passa muitas lições de forma natural, nos deixa ansiosos pela continuação e aflitos por saber o rumo que cada um vai tomar. Já posso dizer que adorei?


“Não há nada de errado em aproveitar a oportunidade que tem. Ambição é somente ruim quando você derruba os outros ou passa por cima deles.”

Espero que tenham gostado e não deixem de me contar se já leram ou pretendem!
Um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário