quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Resenha: Autorretrato Anônimo - Murilo Bazzo



Título: Autorretrato Anônimo
Autor(a):  Murilo Bazzo
Editora: Chiado
Páginas: 276
Ano de lançamento: 2017
Sinopse: “Sempre quis ser humano e viver uma vida, qualquer uma; desde que fosse inteiramente minha.”
"A melhor parte de um clichê é que ele é verdade! Por mais que tentemos fugir, eles sempre estão lá, escondidos nas arestas inacabadas das histórias que conhecemos. Este livro, por outro lado, não se propõe a esconder nada disso. Ao contrário, trata da viagem inóspita para dentro de si mesmo, o verdadeiro “conhece a ti mesmo”, que o personagem Paulo Macedo de dezessete anos realiza, numa tentativa de compreender a série de revelações devastadoras que culminaram com o desmonte da sua pacata vida de adolescente na capital mais quente do Brasil, segundo dizem. Enfrentar o próprio reflexo é uma tarefa árdua, será que você está apto para isto?"

Em "Autorretrato Anônimo" vamos conhecer Paulo, um adolescente de dezessete anos, que realizou pouquíssimos feitos sozinhos, para não dizer nenhum, morre de medo do pai, não entende sua mãe, e também não tem quase nenhum contato com o resto de sua família, graças as proibições do pai. 


"Acho que tudo sempre pareceu muito simples e palpável... Os pássaros tinham uma função muito clara: cantar; os peixes: nadar; e de uma hora para a outra, eles fizeram a revolução dos bichos sem me avisar. Aliás, o mundo todo parecia estar de pernas para o ar, sem que tivesse desenvolvido tal habilidade."

"Se eu soubesse que não precisava ter medo do escuro, talvez tivesse passado mais tempo nele, a salvo das inseguranças da luz do dia."

Como todo adolescente, Paulo tem suas dúvidas, seus anseios e devaneios. Porém, o vestibular e o ENEM se aproximam e precisa manter a fama de estudante exemplar e bom filho, mesmo se sentindo perdido. Contudo, as coisas mudam quando Luísa aparece em sua vida.


"Lembre-se de que a sinceridade é a chave para o conhecimento."

"Não era uma empresa muito próspera, mas havia outras menos bem sucedidas. Segundo meu avô, esse é um bom indicador para avaliar se um empreendedor está no caminho certo do sucesso: se não for o pior."

Após alguns acontecimentos, sua rotina pacata têm uma tremenda reviravolta e Paulo começa a desvendar os mistérios que o cercam, entender que as oposições e ensinamentos do pai são sem sentido, e o medo que sua mãe sente dele sim tem um motivo. 


"...aquela sensação de que sua vida está uma droga, mas que ainda existem momentos capazes de fazer o coração pular de felicidade..."

" - O que ele te fala? Se seu reflexo não te diz nada é porque você nunca o encarou antes."

A adolescente simpática, bonita e, de repente, única amiga de Paulo, é quem resolve abrir seus olhos para o mundo, o fazer enxergar que alguma coisa em sua vida está errada e ficando parado as coisas não vão melhorar, muito menos os segredos se desvendar. É quem o incentiva a enfrentar os desafios propostos, e quem sabe até ajudá-lo a encontrar seu próprio caminho.


" - Eu acho que os desafios dão força à nossa vida."

"... Pense bem! Por que ir a um lugar já explorado por todos? As melhores histórias estão nos locais inabitados, nos potes de sorvete intocados.."

Este é um livro de verdadeiro autoconhecimento e busca de si mesmo. Um livro que nos ensina a olhar para dentro de nós mesmos, nos ouvirmos, conhecermos e a apreciar os pequenos momentos. Nos faz refletir sobre nós mesmos, buscando melhorar. Um título nunca fez tanto sentido quanto neste livro, juntamente com a capa (muito bonita) e a história, o que ficou sensacional. Sem esquecer que temos ótimas recomendações musicais durante a leitura!


"Para que o dia possa nascer feliz é preciso andar na contramão, chorar quando todos rirem e rir quando a esperança geral se dissipar... Essencialmente é uma poesia que aquece o coração; que celebra a possibilidade de oposição de ideias. O que, na verdade, não era o que eu tinha naquele momento. Mas outra poesia diria: 'E quem quer saber? A vida é tão rara!'"

Gostaria de falar mais um pouco, mas esse livro é um que se falarmos muito, quando percebemos retiramos toda a magia graças aos spoilers, por tanto, recomendo a leitura.


" - O que ele te fala? Se seu reflexo não te diz nada é porque você nunca o encarou antes."
"Não há pessoas esperançosas e felizes, ou tristes e desesperadas. Há, sim, momentos felizes e momentos tristes. Perceber isto, não demanda leitura de textos esperançosos e encorajadores, mas, sim, o confronto consigo mesmo. Demanda bater de frente com a imagem virtual, projetada no espelho logo à sua frente. Requer questionar o próprio autorretrato , pintado engenhosamente com as cores do narcisismo, e segerir que, talvez ele seja apenas mais uma pintura anônima, no meio de tantas outra que habitam a grande galeria de arte - conceito questionável - que é o mundo."


(Meu exemplar autografado)

Espero que tenham gostado e me digam aqui se já leram ou pretendem! 
Um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário