terça-feira, 14 de novembro de 2017

Resenha: Oníria - Joana Santos Silva


Título: Oníria
Autor(a):  Joana Santos Silva
Editora: Chiado
Páginas: 74
Ano de lançamento: 2017
Onde comprar: Chiado Editora e Amazon (Ebook).
Sinopse: "'Oníria' são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.
Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente."

"Oníria" é um livro curto de poesia e textos pessoais. Um conjunto de lembranças e situações vividas pela autora ao longo dos anos, que entre amores, desamores, conquistas, perdas e momentos marcantes em sua vida, nos prende à leitura e nos faz refletir.


"Agora na paz interior peço a uma fada pozinhos mágicos
Para acabar com a minha dor e os momentos mais trágicos..."

Podemos observar no rodapé de cada poema o ano em que ele foi escrito e isso nos ajuda a entender ainda mais o sentimento que foi colocado no papel, o que ele está nos transmitindo e qual sua intenção. A maturidade adquirida com o passar do tempo por Joana para falar sobre sua jornada, sua vida, e sua terra. E como o título já diz, somos capazes de entender seus sonhos e sonhar juntos. 


"Ouve-te primeiro, ouve o teu coração
És tão capacitada, estás à espera de quê?"

É um trabalho extremamente pessoal, mas também tocante. Somos capazes de entender como a poesia funciona. É abrangente, possui sentimento, podendo ser somente a apreciação de uma obra de arte, ou até mesmo de uma melodia. Somos capazes de ver que a  poesia está em todos os lugares.


"O tempo roubou-me todas essas certezas
Um dia ou outro ainda me calhava um desenho
Mudaste muito, não achas estranho?"

Alguns poemas me comoveram, outros não me tocaram, mas isso se deve ao fato já mencionado, é um livro pessoal. Em certos momentos tive a sensação de estar lendo um diário, já que todos somos diferentes e nem sempre compartilhamos da mesma opnião. Mas os textos familiares foram os que mais me envolveram, encantaram e marcaram. 


"Eu sei que doía e eu de mãos atadas
Voltei a chamar aquela fada
Agarrei-te, abracei-te, chamei por Deus
Rezei, dei meu último adeus
Mulher de mim, carinho desigual
Como de mar sem o seu sal
Fica bem, minha estrela
Que um dia voltarei a vê-la"

É um livro de leitura rápida, porém vai depender de cada um a absorção. A escrita é marcante e a seleção dos poemas significativa. Uma obra excêntrica e com muita sensibilidade, nos transportando para outros mundos durante a leitura. 


"Luta, longe, encontra quem és
Luta pela vida não contra as marés
Se te faz bem fugir
Foge, quero-te ver sorrir"

E eu não poderia esquecer de falar sobre a capa, que é linda, faz jus ao título, e me deixou ainda mais encantada pelo livro (quem me conhece sabe que sou apaixonada por filtro dos sonhos). A diagramação também ficou muito boa, com letras grandes e confortáveis para leitura. 


"Mas porque somos nós egoístas
Sem um pingo de consideração
Seremos sempre vigaristas
Condenada, esta nação"

(Meu exemplar autografado)

"Olho sempre para a luz e não para o fundo
Opto sempre pelo mais puro"

Joana é gente como a gente, e surpreendeu ao desenvolver um livro repleto de ensinamentos através de poucas palavras. Recomendo!


"A um passo da loucura
Pára, vê o que falha
Se vês que nada te cura
É porque a vida é canalha"

Espero que tenham gostado e me contem aqui se já leram ou pretendem!
Um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário