quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Resenha: A Carruagem da Morte - Gustavo Rosseb



Título: A Carruagem da Morte
Série: As Aventuras de Tibor Lobato (Livro 3)
Autor(a):  Gustavo Rosseb
Editora: Jangada
Páginas: 480
Ano de lançamento: 2017
Sinopse: "A aventura final da trilogia de Tibor Lobato está começando: uma nova quaresma chegou e todos os moradores dos vilarejos em torno da Vila do Meio sofrem o ataque brutal de um exército de criaturas horrendas. Ao saber da ocorrência de estranhos rituais, Tibor descobre que tudo faz parte de um plano macabro da Cuca, que ele pretende derrotar de uma vez por todas. Em meio a batalhas épicas, sonhos e pesadelos sobrenaturais, Tibor precisa enfrentar o maior de todos os desafios: conhecer a si mesmo e a extensão da própria força. Gustavo Rosseb resgata e moderniza os mitos e causos do folclore brasileiro, entretendo os leitores e provocando reflexões com temas como o preconceito, a morte e o poder da amizade e dos laços de família."


Em "A Carruagem da Morte" os irmãos Lobato estão às vésperas da terceira Quaresma e ainda se recuperando dos acontecimentos da anterior. Mais um ano se passou e surpreendentes acontecimentos mudaram a vida dos irmãos desde que chegaram ao sítio e presenciaram fatos inimagináveis. 


"O tempo é a única força que nada perdoa."

" - A gente sempre está lá, mesmo na noite mais escura, para todos que precisem de luz."

Já com a certeza de que esta será a pior das Quaresmas, Tibor e Sátir se preparam para continuar com a aventura vivida no ano anterior e acabar de vez com os planos malignos de seus inimigos e principalmente da Cuca.

" - Os sonhos são feito areia. O que é a areia senão um amontoado de grãozinhos? [...] Micropedaços de conchas e pedras de todos os tipos que, juntos, formam uma coisa só."

"Não existe escuridão que alcance o coração de uma fonte de luz."

Com um exército de criaturas horrendas espreitando a vida dos habitantes e destruindo os Vilarejos, mais uma vez os irmãos vão em busca de uma solução para acabar com o mal, resgatar seu amigo e viveram finalmente em paz. 


"...Isso que vocês chamam de 'remela' é o resquício da areia dos sonhos que despejei sobre os seus olhos para que sonhassem."

"Aprenda o que precisa aprender."

Sonhos estranhos começam a assombrar Tibor e em busca de pistas para onde seguir, a irmã, seu novo namorado e o cachorrinho do mesmo o acompanham nesta nova perigosa e eletrizante jornada. 


" - Acalme-se, menino. Não é assim que se vence um problema. [...] É preciso botar a cabeça no lugar ou então você está derrotado."

" - Sempre há uma guerra sendo travada lá fora, querido. E sempre haverá [...] Esteja você pronto ou não."
Este é o maior livro da série e sim, eu queria mais! Neste volume temos novos personagens, mais uma vez o desenvolvimento e crescimento dos antigos personagens mas sem perder o jeito ingênuo e um tanto infantil que é marca registrada desde o primeiro livro, e outros secundários de extrema importância na trama. Histórias do presente, passado e até futuro vão se cruzar, mistérios vão se revelar e finalmente novas criaturas vão se mostrar, tanto para o bem, quanto para o mal.


" - Talvez precise desviar sua visão do rodamoinho para entender do que ele é feito."

"Onde houver um pontinho de luz que seja, a escuridão nunca será completa."

Lições importantíssimas vão nos ser passadas através das páginas, assim como Tibor precisará passar por algumas provações para descobrir quem realmente é e pelo o que deve lutar. Muitos fatos foram inseridos de forma surpreendente, assim como novas lendas do folclore e histórias que trazem ainda mais mistério para a trama. O final é de arrepiar, fazer chorar e até mesmo suspirar. 


" - Ora, o único poder de que você precisa é escutar seu próprio coração. Escute-o e terá uma vantagem."

"Às vezes a gente tem que perdê pra ganhá. Lembra disso!"

É um livro que fecha a trilogia perfeitamente e merece ser aplaudido de pé. Além de ser cheio de aventura, vai trazer lições sobre o preconceito, amor, perdão, amizade e até relacionamento familiar. A leitura é sempre dinâmica, a trama envolvente e com um roteiro de arrepiar. 


"Era preciso parar de andar para descobrir qual era o próximo passo."

" - Escute seus medos, são eles que te dão a noção do perigo real. Mas escute também a sua intuição, é ela que te leva para o caminho certo. Não é preciso saber de tudo para sentir o que é certo e o que não é."

A melhor parte, para mim, é a maneira como o autor conseguiu fazer várias lendas do folclore se encontrarem em uma só história de forma tão natural e envolvente. Neste livro em especial, temos a do Negrinho do Pastoreiro, que eu nunca tinha lido realmente e adorei saber um pouco mais, e a do Bumba Meu Boi que foi uma sacada muito inteligente (quem ler vai entender ;p). 


"O que é a esperança sem os sonhos?"

"O Negrinho seria uma vítima fatal daqueles tempos, em que a cor da pele determinava o destino das pessoas."

A capa, como sempre, ficou linda e foi desenha pelo autor. A diagramação continua a mesma, com letras de tamanho confortável para leitura e páginas amarelas. A narrativa é em terceira pessoa, e a escrita do autor continua bem leve e fluída. 


" - Ora! Si tem um vilão na história, tem qui tê um herói!"

"Que nada, nesta vida, seja forte a ponto de prender vocês. Todos somos livres, por natureza, para nos tornar aquilo que quisermos."

Meu exemplar autografado!

"Não precisamos querer o talento dos outros, porque cada um de nós tem o seu."

Favoritado e recomendado sem pensar duas vezes! 


" - A morte é tudo que faiz tudo ter sentido. Porque ela existe, é sempre certeza que os dias da gente são contados [...] Vai tudo acabá. Isso faiz a gente cuidá pra tudo valer a pela. Num é? Pensa bem."

"Não é o rótulo que faz a pessoa. Mas sim o que ela é por dentro e como age neste mundo ou em qualquer outro."

Espero que tenham gostado, um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário