quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Resenha: A Guardiã das Muiraquitãs - Gustavo Rosseb


Título: A Guardiã das Muiraquitãs
Série: As Aventuras de Tibor Lobato (Livro 2)
Autor(a): Gustavo Rosseb
Editora: Jangada
Páginas: 381
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Amazon, Saraiva e Site do autor
Sinopse: "Neste segundo volume da série As Aventuras de Tibor Lobato, Sátir desaparece e seu irmão Rurique junto com Tibor Lobato partem em busca de pistas, numa jornada que envolve viagens subaquáticas, cidades fantasmas, ataques de lobisomens, botos e filhotes de saci. Quando os garotos pensam que as coisas não podem piorar, recebem um aviso da Guardiã de Muiraquitãs de que o último amuleto, que poderia garantir a vitória sobre a Cuca, foi roubado. Os rumores são de que o suposto ladrão é um forasteiro que ronda a Vila Serena, gerando muitas suspeitas e ainda mais mistérios."


Em "O Oitavo Vilarejo" conhecemos Tibor, Sátir, Rurique e Dona Gailde, que passam por grandes aventuras durante a Quaresma, descobrem que lendas não são apenas lendas, e que o perigo anda perto. Já em "A Guardiã das Muiraquitãs", um ano se passou e estão novamente às vésperas de uma nova Quaresma, pela qual Tibor se vê muito ansioso.


"... a sensação de dividir o barulho do nada com alguém era incrível."

Depois de descobrir um universo onde Saci, Curupira e até a Cuca são reais, e enfrentar a época mais perigoso do ano, os irmãos Lobato e Rurique finalmente encontram a paz para viverem sem se preocupar, no entanto, Tibor tem estado agressivo e irratado justamente por se sentir entediado com a calmaria do sítio e secretamente sentir saudades das aventuras que viveram. Porém, surge uma oportunidade de se divertir e distrair quando recebem um convite para a festa de aniversário da filha dos novos moradores da vila, que irá acontecer na véspera da Quaresma. 


"Faça seu próprio caminho e, se o caminho que você está trilhando não agradá-lo, mude. Entende o que digo? Siga sempre o seu coração. O seu!"

Logo à meia-noite as coisas começam a ficar estranhas. Tibor tem uma experiência repentina, fora do normal e surpreendente, e precisa correr para salvar vidas que correm perigo. Isso só nas primeiras horas do que será uma longa Quaresma, essa que trará muitos acontecimentos misteriosos, mágicos e como sempre, muito perigosos. 


" - Ignorante e arrogante, como eu disse. Assim é o ser humano."

Grandes emoções já marcaram a primeira noite desse período e como nem tudo é tão simples, após alguns dias das primeiras tragédias, Sátir desaparece deixando apenas um bilhete de despedida. A busca pela menina se inicia imediatamente, contudo Tibor não poderia ficar parado esperando resultados que poderiam não serem bons, então parte em sua própria busca atrás da irmã, mas agora com Rurique e Rosa Bronze também o acompanhando. 


"... Ele disse que havia uma índia que era fascinada pela lua; uma vez ela tentou tocar o reflexo que via da lua no meio do lago e se afogou. A lua, com pena dela, transformou-a numa vitória-régia. Para agradar a índia, deu a ela o formato do reflexo da própria lua na água; por isso essa planta é redonda, para se parecer com a lua."

Sem a mínima idéia de quem a levou ou para onde, partem sem um rumo mas prontos para enfrentarem os próximos obstáculos. Nessa jornada, batalhas serão travadas, vidas perdidas e roubadas, amigos e inimigos feitos, alianças não cogitadas e a descoberta da Guardiã das Muiraquitãs juntamente com uma nova esperança. 


"As consequências dos atos de hoje se refletirão no futuro."

A Quaresmas começou, Tibor finalmente tem a aventura que tanto queria e precisará ser corajoso para desvendar mistérios, vencer seus próprios medos e principalmente os seres fantásticos que encontrará pelo caminho. 


"Os momentos bons servem pra mostrar aquilo que realmente importa. Aquilo que devemos guardar. Carinho, amizade e amor. [...] E os momentos ruins não são de fato ruins. Eles servem para que a gente evolua e cresça."

Gustavo Rosseb mais uma vez conseguiu surpreender ao introduzir mais um leque de novos mitos e crendices nessa história, e explorar ainda mais nosso folclore, trazendo lobisomens, sereias, boitatá e até o boto cor-de-rosa à tona. Ainda fica abismada com a forma com que o autor trás o folclore nacional estimulando a imaginação, de maneira tão simples, singela, encantadora e divertida, de forma que se o leitor não for familiarizado com o folclore, vai aprender absurdamente, mas se já é e escuta as lendas desde a infância, vai se sentir presenteado com esta obra e apreciando cada vez mais essa cultura que aos poucos está se perdendo. 

"... escutar histórias era um ótimo remédio."

Os personagens foram muito bem desenvolvidos, e é nítido ver o amadurecimento de cada um, de um ano para outro, mas sem perder a essência do primeiro livro e ainda passando lições valiosas através do livro. Os personagens secundários também são de extrema importância para a construção da trama e é importante ressaltar que cada detalhe é válido e vai fazer sentido em algum momento. 


"O material que o ser fantástico usava para esculpir as estrelas brilhava no escuro; por isso as estrelas brilham quando é noite. Enquanto ele esculpia cada estrela, o pó que ia sobrando caía aqui na Terra. E quando tocava o chão, esse pozinho ganhava a vida [...] Foi só quando o ser fantástico parou para descansar de novo é que ele percebeu umas coisinhas que voavam por aí de noite e que brilhavam no escuro assim como as estrelas.
- Os vagalumes! [...]"

O livro é repleto de aventuras, tão incrível e até melhor do que o primeiro, se é que isso é possível.  A escrita do autor continua leve, fluída e viciante (mais uma vez devorei o livro somente em um dia). O conteúdo foi bem colocado e explorado. Os acontecimentos e criaturas apresentadas são ainda mais tensos, tornando a leitura mais eletrizante. O final é surpreendente, confesso que chorei um pouquinho, e nos deixa aflitos e ansiosos pela continuação (mais uma vez dei graças por já tê-la em mãos). A continuação foi roteirizada com maestria pela autor. 


"Quando não estamos perto das pessoas que amamos, o mundo se torna um lugar vazio."
A capa mais uma vez ficou linda demais, condiz perfeitamente com a trama e foi desenhada pelo próprio autor. A diagramação continua a mesma, com letras de tamanho agradável para leitura, páginas amarelas e narrativa em terceira pessoa. Com o diferencial de três contos folclóricos paralelos ao livro. 
"O céu deve ser um lugar lindo. [...] Quando ele abre suas portas, abre no momento certo. Não adianta apressar ou retardar nada. A hora certa é sempre a hora ideal."

Meu exemplar autografado!

Assim como o primeiro, recomendo para todos sem excessão. É um livro que encantará pessoas de todas as faixas etárias. Mais uma vez favoritado! 


" - Nós, botos, já partilhamos da nossa sabedoria com vocês. Fomos seres em comunhão em outros tempos. Éramos duas raças de grande inteligência, cada uma em seu meio e à sua maneira. Vocês no plano terreno e nós no mundo das águas. [...] Alguns de nós foram abençoados com o poder de se transformar em seres humanos Uma forma que nos permitia viver entre vocês e trocar experiências, estudos e descobertas. [...] Mas o ser humano, sempre com sua ganância e arrogância, fez tudo virar um inferno. Nas eras que se seguiram, cortaram suas relações com a natureza, colocaram o lucro acima de tudo e travaram guerras religiosas, mataram uns aos outros pela cor da pele! [...] Mesmo nos tempos de hoje, com tanto conhecimento, matam com crueldade outros seres vivos para transformá-los em alimento, como faziam seus malditos antepassados! [...] Hoje, vocês têm regras até para amar!"

Espero que tenham gostado, um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário