terça-feira, 17 de abril de 2018

Resenha: The Heart of Betrayal - Mary E. Pearson


Título: The Heart of Betrayal
Série: Crônicas de Amor e Ódio (Livro 2)
Autor(a): Mary E. Pearson
Tradutor(a): Ana Death Duarte
Editora: DarkSide
Páginas: 402
Ano de lançamento: 2016
Onde comprar: Saraiva, Amazon e Submarino.
Sinopse: "Em The Heart of Betrayal — Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino."


Esta resenha pode conter spoilers do livro anterior, The Kiss of Deception. Se você ainda não leu, clique aqui.

The Heart of Betrayal é o segundo volume da trilogia "Crônicas de Amor e Ódio" e se inicia exatamente onde o livro anterior terminou. Lia, princesa fugitiva de Morrighan, finalmente chega à Venda e é levada direto ao Komizar, assim como Rafe, que sustenta a mentira de ser um emissário do príncipe de Dalbreck enviado para negociar uma aliança entre os reinos.


"Vale a pena ter sonhos que não sejam grandiosos?"

Entretanto, cada um parece ter seu plano. Como Venda é um reino estéril, bárbaro e se sustenta com a carga de diversos roubos, após Kaden ser questionado justamente por não ter executado Lia quando lhe foi designado, o mesmo usa de seu poder de persuasão e influência como Rahtan para afirmar que a princesa poderia ser útil graças ao seu dom, trazendo assim vantagens em batalhas e despertando o interesse do Komizar.

"Idiotice era uma questão de perspectiva."

Porém, logo descobrimos uma longa rede de mentiras, intrigas e desconfiança que nos deixa tão tensos quanto Lia a cada descoberta. Cada atitude impensada pode desencadear uma reação irrefreável e inesperada com consequências que afetarão a todos. Desta forma, os personagens caminham em uma tênue linha nos surpreendendo a cada escolha que afetará gradativamente o futuro de cada um. 


"O pior inimigo é aquele com quem você já dormiu."

A trama é conduzida por uma série de acontecimentos marcantes e esclarecedores, desde Lia se aproximar e aprofundar no dom herdado pelas Primeiras Filhas, até o ponto em que fica claro que nem toda a população de Venda é bárbara mas sim de boa fé e com bom coração apesar de viver  em um local governado através do medo e da violência.


"Eu aprendi que o tempo prega peças na gente quando se quer mais dele."

No decorrer da história Lia se aproxima a cada dia  do povo deste fajuto lugar e se surpreende cada vez mais. Escolhas e decisões são postas à prova, assim como o futuro do triângulo amoroso sustentado até aqui.

"...às vezes, ganhar não é questão de conhecer as regras, mas sim de fazer com que seu oponente ache que ele as conhece melhor do que você."

Este é um livro mediano, não foi extremamente importante para a série mas sim considerável. Poucas coisas acontecem neste volume, mas são importantes para o futuro e consolidação dos personagens para o próximo, por isso, o crescimento dos mesmos foi nítido e decisivo em determinadas situações (inclusive nas escolhas do leitor).


"Que os deuses lhe concedam um coração quieto, olhos pesados e que os anjos guardem sua porta."

Neste livro a mitologia criada pela autora é mais explorada e reavivada através de canções e textos sagrados deixados por civilizações antigas, ganhando uma proporção maior e nos fazendo desejar saber ainda mais. O mundo descrito e criado por Mary fica cada vez mais fascinante com sua descrição e nos faz viajar na imaginação.


"Até mesmo os grandes podem cair."

A narrativa pode parecer maçante algumas vezes, sendo alternada entre Lia, Kaden, Rafe e Pauline, porém o mistério continua estimulante para continuarmos a leitura. O final mais uma vez é surpreendente e me fez sofrer angustiada à espera do último volume da série (sorte que eu já tinha hihi). 


"Eu me lembrei de que não havia regras quando se tratava de sobrevivência."

Sobre a estética do livro, como sempre DarkSide não decepciona e a capa combina perfeitamente com a trama, a diagramação é confortável para a leitura com letras de tamanho "normal", páginas amarelas e a edição é digna de colecionador.


"As regras da razão constroem torres que vão além das copas das árvores. As regras da confiança constroem torres que alcançam além das estrelas."

Espero que tenham gostado, e me contem aqui se já leram ou pretendem. 


"Eu desejava que o amor pudesse ser simples, que sempre fosse dado e retribuído na mesma medida, igualmente e ao mesmo tempo, que todos os planetas se alinhassem de uma forma perfeita para dispersar as dúvidas, que fosse fácil de entender e nunca doloroso."

Um beijo e um queijo ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário