segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Resenha: Gilda não morreu - Caroline Demantova


Título: Gilda não morreu
Autor(a): Caroline Demantova
Editora: Novo Século (Talentos da Literatura Brasileira)
Páginas: 654
Ano de lançamento: 2017
Sinopse:  "Dora de Barros encontra um homem baleado no acostamento da estrada, quando se dirigia para uma audiência na região metropolitana de Curitiba. Ao tentar acudi-lo, ele faz um alerta dizendo que Gilda não morreu e que ainda estava em perigo e lhe entrega o endereço de uma fazenda perto de Londrina. Dora corre para buscar ajuda, mas, quando retorna ao local, verifica que o homem que parecia estar morrendo em seus braços desaparece. Esse é o ponto de partida para Dora dirigir-se à fazenda que o homem indicou, procurando descobrir o paradeiro de Gilda, e descobre que ali ocorreu recentemente um assassinato e um desaparecimento misterioso, além de um intrigante afogamento ocorrido trinta anos atrás. Tudo parece estar interligado, e Dora precisa descobrir a autoria dos fatos para encontrar Gilda e o rapaz da estrada. "


Dora de Barros é uma das personagens mais bem construídas que já tive o prazer de "conhecer".  Advogada, na casa dos 30 e com um passado sólido que se faz presente em todos os momentos do livro, temos aqui uma personalidade forte e marcante essencial para a trama. Com muita bagagem e pouca idade, alguns erros se fazem presentes mesmo depois de alguns anos e isso vem à tona principalmente quando um desconhecido é encontrado por Dora no meio da estrada e lhe entrega um pedaço de papel contendo um endereço, um nome bem familiar e um recado dizendo "Gilda não morreu".


"Aquele que tanto procurara ser visto ansiava por permanecer anônimo. Curiosidade gerou, e muita."

Embarcando em uma jornada cega, Dora vai em busca de respostas e acaba encontrando bem mais do que esperava. Assassinatos e desaparecimentos misteriosos, mensagens sobrenaturais, segredos obscuros escondidos e um grande quebra-cabeças a aguardam na Fazenda Malvezzi.


"-Claro, você continua o mesmo. Não mudou nem um pouco sequer. É o mesmo egoísta de sempre, que só pensa em salvar a própria pele."

Ao longo da leitura mais personagens vão surgindo tornando a história ainda mais instigante. A narrativa é feita em terceira pessoa, o que torna possível saber o que cada um está pensando ou tramando e ainda assim fica difícil saber quem afinal seria o culpado. O título por si só já atiça a curiosidade do leitor e só fica melhor com o desenrolar da história. A escrita é bem fluída, de fácil entendimento e com certeza cativa o leitor rapidamente para um final ainda melhor.


"-Não gosto de revirar o passado. Precisamos deixar os mortos em paz.
-A questão é que os mortos não estão em paz."


Sobre a parte gráfica do livro, mais uma vez só tenho elogios. As páginas são amarelas, a diagramação com fonte e tamanho confortável para leitura e uma capa que condiz com a trama.


"-E, como a viagem é longa, podemos fazer algumas paradas estratégicas de despedida."

Uma obra bem construída com um enredo digno de Agatha Christie. E para quem ainda não conhece a autora e suas outras obras, Segredos Obscuros já foi lido, resenhado e super recomendado por aqui.




Ótima pedida aos fãs de suspense sobrenatural e romance policial.  
Espero que tenham gostado, um beijo e um queijo *



Nenhum comentário:

Postar um comentário