terça-feira, 16 de abril de 2019

Resenha: Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra. - Leigh Bardugo


Esqueça tudo que você já ouviu falar da Mulher Maravilha. Em "Sementes da Guerra", Diana é apenas uma jovem tentando mostrar seu valor a sua mãe e suas irmãs.

Após sair de uma corrida para salvar a garota Alia de um naufrágio, Diana nem imagina que está colocando sua ilha em jogo. Tesmicira começa a adoecer com a presença da garota que é mais uma da linhagem da sementes da guerra.

Após consultar um oráculo e perceber a gravidade da situação, Diana sai da ilha das Amazonas pena primeira vez e se aventura no mundo moderno, tendo a Grécia como destino.

O livro me prendeu muito. Desde as primeiras páginas já têm ação e aventura, o que eu particularmente, gosto muito. Vi muitas pessoas criticando o livro por ser uma história mais adolescente, já que as protagonistas tem entre 16 e 18 anos, porém o livro, além da aventura, passa muitas mensagens que são assuntos atuais como preconceito, racismo, homofobia e por aí vai.

Diana se pega em um mundo completamente diferente do seu, tendo que seguir firme e confiar em pessoas que nunca viu antes. A aliança com Alia pode ser perigosa e acabar com as Amazonas, mas Diana não tem como se livrar do problema sem encara-lo.

A Mulher-Maravilha que conhecemos ainda está por vir e não demonstra toda a confiança como no filme, por exemplo. O crescimento de Diana é acompanhado pelo leitor e esse foi um dos motivos pelos quais o livro me prendeu.

A obra faz parte de série literária da DC, que também tem edições com Batman, Mulher-Gato e Superman. Todos escritos por autores aclamados pela crítica.

Eu gostei muito da história e indico principalmente para quem tem a mente aberta e não se prende aos personagens de cinema, pois como já citei, nesse livro vemos uma Diana totalmente diferente.


Ansiosa para ler outras obras de mesmo gênero.

Nos acompanhe no Instagram @thataressacaliteraria. Bjs